Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Cidade de Nova York adota toque de recolher após violência em protestos

Manifestações em resposta à morte de George Floyd terminaram em confrontos; violar medida pode levar a prisão por até 3 meses

Por Da Redação Atualizado em 1 jun 2020, 19h47 - Publicado em 1 jun 2020, 19h27

O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, disse nesta segunda-feira, 1, que vai estabelecer um toque de recolher na capital, depois que protestos pela morte de George Floyd terminaram em violência. Também haverá aumento das forças policiais na cidade.

O toque de recolher vale a partir desta segunda-feira, das 11 da noite às 5 da manhã locais. Não está claro se a medida continuará nas noites seguintes. De acordo com o governo, violar a orientação pode resultar em até três meses de prisão ou multa de 500 dólares (2.600 reais pela cotação atual). Outros grandes centros urbanos, como Los Angeles, Atlanta, e a capital Washingtonjá haviam anunciado a medida. 

“Falei com o prefeito [Bill de Blasio], haverá um toque de recolher na cidade de Nova York que achamos que será útil”, disse Cuomo. O governador e o prefeito disseram que a medida era necessária para evitar saques e confrontos violentos, anunciando que o Departamento de Polícia de Nova York dobraria o número de policiais nas ruas.

Segundo o jornal americano The New York Times, a cidade implementou um toque de recolher em parques no passado para combater o crime. Contudo, essa é a primeira vez que um toque de recolher generalizado é adotado – não chegou a ser uma opção nem mesmo para combater a propagação do coronavírus.

“As manifestações têm sido geralmente pacíficas”, disse o prefeito democrata em comunicado. “Não podemos deixar a violência minar a mensagem deste momento. É muito importante e a mensagem deve ser ouvida.” A filha do próprio prefeito, Chiara de Blasio, que é negra, foi presa durante um protesto em Manhattan, acusada de desobedecer ordens policiais para esvaziar uma rua, de acordo com um boletim de ocorrência obtido pelo jornal The New York Post.

Continua após a publicidade

A jovem de 25 anos recebeu uma intimação judicial e foi liberada. Em uma coletiva de imprensa, De Blasio disse que a versão de sua filha sobre o ocorrido foi diferente da registrada pela polícia e que ela estava apenas protestando de forma pacífica quando foi presa. “Eu amo profundamente minha filha. Ela só quer fazer o bem para o mundo”, disse o prefeito. 

O Times reporta que entre os isentos do toque de recolher estão os profissionais de saúde, funcionários de serviços essenciais – como farmácias e supermercados – e jornalistas. Pessoas em situação de rua também estão isentas.

No domingo, manifestações pacíficas em resposta à morte de George Floyd, homem negro que foi sufocado por um policial branco no último dia 25, estando desarmado, tornaram-se violentas, com incêndios e lojas saqueadas. Confrontos entre manifestantes e policiais se espalharam por Manhattan e pelo Brooklyn, onde garrafas de vidro e lixo foram atirados contra as forças de segurança enquanto os e policiais usavam cassetetes e faziam prisões.

Autoridades alertaram que os protestos podem contribuir para a proliferação do coronavírus e prejudicar a cidade, que se prepara para reabrir após meses de lockdown.

Continua após a publicidade

Publicidade