Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CICV descreve situação ‘extremamente tensa’ em várias regiões da Síria

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) advertiu nesta sexta-feira sobre a situação “extremamente tensa” em várias regiões da Síria, o que provoca deslocamentos da população civil.

“Atualmente, a situação é extremamente tensa, não apenas em Houla, não apenas em Hama”, declarou um porta-voz da organização, Hicham Hassan, em um encontro com a imprensa.

“Quero falar de Idlib, da região rural de Idlib; da região rural de Damasco, que não está longe da capital; de Hama e, em menor medida, de Aleppo; de Deraa, no sul do país; de Deir Ezzor, ao nordeste, e de Latakia, na costa”, disse.

“A situação geral é bastante tensa em termos de combates em muitas regiões na Síria”, acrescentou.

Hassan explicou que esta situação conduzia a deslocamentos da população civil, que fogem da violência de um povoado a outro ou de uma cidade a outra.

Segundo o CICV, cerca de 1,5 milhão de pessoas – algumas das quais são afetadas apenas indiretamente pelos confrontos violentos entre as forças armadas e os opositores ao regime – precisam de muita ajuda humanitária.

Desde o início da repressão da revolta, em março de 2011, o presidente do CICV viajou em três ocasiões à Síria, onde se reuniu com o presidente Bashar al-Assad em setembro passado depois de ter ido pela primeira vez a Damasco em junho de 2011.

Diferentemente da ONU, o CICV, graças à colaboração com o Crescente Vermelho sírio, consegue chegar a todas as regiões onde a organização deseja ajudar as populações afetadas.

No entanto, Hassan ressaltou que a solução para a crise síria não era, de nenhuma maneira, humanitária, e sim política, e não se pronunciou sobre o fracasso ou não do plano Annan.

Por sua vez, o porta-voz indicou que o pessoal do CICV havia terminado sua visita à prisão central de Aleppo, a segunda maior do país. Depois de Damasco, é a segunda visitada pelo CICV, depois de uma autorização do governo sírio. O CICV espera visitar todas as prisões da Síria.