Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chuvas torrenciais deixam dezenas de mortos na Argentina

Autoridades de La Plata - cerca de 60 quilômetros ao sul da cidade de Buenos Aires - consideram este um desastre climático único na história da cidade

Dezenas de pessoas morreram na Argentina depois das chuvas torrenciais que deixaram centenas de desabrigados nos últimos dias. O temporal atingiu a capital Buenos Aires e depois se deslocou para o sul, chegando a La Plata, onde caíram 400 milímetros de água em duas horas.

Segundo a imprensa argentina, só em La Plata, localizada cerca de 60 quilômetros ao sul da cidade de Buenos Aires, o número de mortos já chega a 40. “É um desastre climático único na história de La Plata”, disse a repórteres o ministro da Justiça e Segurança do distrito, Ricardo Casal. Mais de 2.000 pessoas tiveram de ser evacuadas e metade da cidade ficou inundada.

“Agora vamos encontrando com a pior situação”, disse, pela manhã, o governador da província de Buenos Aires, Daniel Scioli, que não descartou a possibilidade de aumento no número de mortos. Há mais de 2.200 desabrigados e muitas pessoas aguardam resgate nas lajes de suas casas e em cima de carros. “Nunca vi coisa igual. Esta situação não tem precedentes”, acrescentou Scioli. Ele explicou que um grande volume de chuva caiu em poucas horas, e não houve tempo para os moradores escaparem.

Em La Plata, muitas pessoas tiveram de passar horas sobre os telhados de suas casas à espera de resgate, conforme a água arrastava todos os veículos em seu caminho. “A tarefa mais difícil foi à noite, quando a água atingiu níveis muito elevados na madrugada e não havia possibilidade de sobrevoar ou oferecer auxílio aéreo”, explicou Casal, acrescentando que havia cerca de 1.500 desabrigados.

Em Buenos Aires, as chuvas deixaram pelo menos seis mortos. A inundação de ruas e casas atingiu com maior força os bairros da zona norte da capital, onde tem crescido nos últimos dez anos a construção de edifícios, sem a realização de obras de infraestrutura hídrica, segundo entidades ambientalistas.

Leia também:

Leia também: Argentina apresenta oferta a credores em Nova York e dissipa temores de calote