Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

China: jornalistas vão passar por exame marxista para obter licença

Órgão regulador estatal recomenda 18 horas de estudos para passar na prova

Por Da Redação 19 dez 2013, 11h24

Os jornalistas chineses terão de passar por um exame nacional sobre marxismo e outras matérias definidas pelo governo, entre os meses de janeiro e fevereiro, se quiserem manter sua licença de trabalho, segundo uma nova legislação aprovada pelas autoridades.

De acordo com o jornal estatal Global Times, cerca de 250.000 jornalistas chineses deverão fazer a prova até março. Segundo a Administração Estatal de Rádio, Cinema e Televisão, órgão chinês que controla a atividade de jornalismo, os profissionais começaram a ser notificados da exigência da prova em setembro. O órgão também advertiu os jornalistas de que é necessário estudar por, no mínimo, 18 horas.

Leia também

China: protestos contra censura tiveram 12 presos

PC chinês reitera ‘controle absoluto’ sobre imprensa

O exame, que vai avaliar se a pessoa tem condição ou não para o exercício da profissão jornalística no país, abordará matérias como “socialismo com características chinesas”, “perspectiva marxista do jornalismo”, “ética jornalística”, “normas informativas” e “como prevenir-se de boatos”. Também serão abordadas questões sobre a preocupação mais importante do governo chinês, a “proibição de publicar artigos ou comentários contrários ao Partido Comunista”.

Para responder as perguntas com sucesso, os jornalistas terão de estudar uma cartilha de 700 páginas vendida, é claro, em livrarias estatais chinesas.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade