Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

China deteve 3.500 pessoas arbitrariamente em 2010

Relatório chega no momento em que o governo do país mobiliza sua máquina de repressão contra o povo, temeroso dos protestos do mundo árabe

Uma ONG com sede em Hong Kong registrou mais de 3.500 casos de detenções arbitrárias na China em 2010. Segundo o Centro de Informação dos Direitos Humanos e da Democracia (CHRD), os militantes dos direitos humanos sofrem uma “repressão severa” no país e na internet, que é objeto de rígida censura.

O relatório do CHRD é divulgado num momento em que as autoridades chinesas, preocupadas com a repercussão dos protestos pela democracia no mundo árabe, lançam novas medidas para reprimir os dissidentes políticos. A organização reiterou ainda o pedido ao governo de Pequim para que liberte todos os ativistas dos direitos humanos detidos no país, incluindo o vencedor do Prêmio Nobel da Paz em 2010, Liu Xiaobo.

No relatório anual também são mencionados ataques contra os blogs e sites de ativistas. As autoridades chinesas estabeleceram o que é conhecido como a “Grande Muralha de Fogo” (Great Firewall) para vetar temas como Tibete e direitos humanos, além de bloquear endereços. Assim, os internautas chineses ficam sem acesso a páginas como Facebook, Twitter e YouTube.

(Com agência France-Presse)