Clique e assine a partir de 9,90/mês

China condena teste balístico norte-coreano: ‘não nos provoque’

A China pediu aos países com tropas na região — EUA, Coreia do Sul e Japão — que se abstenham de realizar ações que possam provocar tensões

Por Da redação - 13 fev 2017, 07h51

A China, o um dos únicos países aliados da Coreia do Norte condenou nesta segunda-feira o lançamento de um míssil de médio alcance realizado pelos norte-coreanos no domingo. Em entrevista coletiva, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Geng Shuang, manifestou a rejeição de seu país ao último teste balístico de Pyongyang, e pediu aos países com tropas na região — Estados Unidos, Coreia do Sul e Japão — que se abstenham de realizar ações que possam provocar uma escalada das tensões.

“Nas circunstâncias atuais, os lados relevantes não devem provocar uns aos outros ou tomar ações que aumentariam as tensões na Península Coreana”, disse Shuang. Anteriormente, Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos pediram a realização de uma reunião urgente do Conselho de Segurança (CS) das Nações Unidas por causa do lançamento do míssil de médio alcance realizado pela Coreia do Norte.

O CS já aprovou no ano passado dois pacotes de sanções contra a Coreia do Norte depois que detonou duas bombas atômicas em apenas oito meses e realizou mais de 20 lançamentos de projéteis balísticos, entre eles o de um foguete especial. Este último, realizado no dia 7 de fevereiro de 2016, é considerado pela comunidade internacional como um teste de um míssil balístico de alcance intercontinental.

O lançamento de um míssil realizado pelo regime de Pyongyang no domingo é o primeiro desde outubro do ano passado e se tornou também na primeira provocação militar do regime de Kim Jong-un desde que Donald Trump chegou à Casa Branca.

Continua após a publicidade

(Com agência EFE)

Publicidade