Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

China aumenta a repressão contra a dissidência durante visita de Biden

Por Ng Han Guan 20 ago 2011, 12h06

A repressão aos dissidentes na China aumentou em razão da visitaesta semana do vice-presidente americano Joe Biden, informaram neste sábado algumas ONGs e ativistas.

“O governo chinês fez tudo que podia para intimidar todos os tipos de dissidentes, advogados ou ativistas de direitos humanos”, disse à AFP Phelim Kine, da Human Rights Watch.

Joe Biden chegou na quarta-feira a Pequim para, entre outras razões, para tranquilizar os líderes do país sobre a situação econômica dos Estados Unidos. Neste sábado, está prevista uma visita a Chengdu (província de Sichuan), no sudoeste da China.

A Casa Branca disse que Biden não hesitaria em “expressar preocupação” sobre a situação dos direitos humanos na China, mas não anunciou qualquer reunião com a militância nessa área.

Dezenas de escritores, advogados e ativistas de direitos humanos foram detidos, mantidos sob prisão domiciliar, seqüestrados ou eliminados pelo regime comunista chinês desde o início das revoltas no mundo árabe, em fevereiro.

Continua após a publicidade
Publicidade