Clique e assine a partir de 9,90/mês

China ameaça avião dos EUA em águas internacionais

Os Estados Unidos enviaram aeronaves para espionar ilhas construídas por Pequim com o intuito de ampliar a área de influência do seu Exército

Por Da Redação - 20 Maio 2015, 23h30

A Marinha chinesa fez diversas ameaças nesta quarta-feira a um avião americano que operava voos de reconhecimento no Mar da China Meridional. A rede CNN tinha uma equipe de reportagem a bordo da aeronave e registrou o momento em que os chineses tentavam desencorajar o piloto americano que operava o avião. “Esta é a Marinha chinesa. Esta é a Marinha chinesa. Por favor, vá embora, evite um mal-entendido”, dizia uma voz, em inglês, por meio das frequências de rádio. As manobras de Washington têm o objetivo de esclarecer a Pequim que o país não reconhece as ilhas artificiais construídas pela China no mar para ampliar a influência do seu Exército na região.

Em apenas dois anos, a China expandiu as falsas ilhas para o equivalente a 1.500 campos de futebol. Apesar das ameaças, os Estados Unidos têm o interesse de aproximar as missões de reconhecimento e deslocar navios de guerra para perto das estruturas chinesas. O Mar da China Meridional é palco de confusas disputas territoriais, incluindo áreas de pesca abundante e reservas potencialmente ricas em recursos naturais. Segundo a rede CNN, Pequim está querendo dizer a Washington e seus aliados, principalmente ao Japão, que possui jurisdição sobre as águas, mesmo sem estar territorialmente próximo a elas.

Leia também:

China vai elevar gastos de Defesa em 10,1% este ano

Continua após a publicidade

Governo japonês muda lei e aprova atuação do Exército em outros países

O temor dos Estados Unidos é de que as falsas ilhas passem a funcionar em breve como instalações militares. Um indício de que as plataformas se tornaram vitais para a China é a presença maciça do Exército na região. “Obviamente há um intenso tráfego aqui: navios de guerra chineses, navios da guarda costeira chinesa. Eles possuem radares aéreos, então eu posso apostar que eles estão nos monitorando”, disse o piloto responsável pelo voo de reconhecimento, Matt Newman. No total, foram oito ameaças feitas pela Marinha chinesa à aeronave americana. A CNN ressaltou que o avião se encontrava sobre águas internacionais quando recebeu os alertas.

A ameaça chinesa também poderá se estender à aviação civil. Era possível flagrar na mesma frequência de rádio um piloto de um voo comercial que teve de se identificar para a Marinha chinesa após receber alerta semelhante ao enviado para o avião americano. Para Washington, a tendência é que a China se torne cada vez mais agressiva se continuar expandindo as ilhas artificiais oceano adentro.

(Da redação)

Publicidade