Clique e assine a partir de 9,90/mês

Chile tem novo forte terremoto seguido de alerta de tsunami

Risco de onda gigante já foi afastado. Abalo sísmico de 7,6 graus atingiu região norte, a mesma do tremor de 8,2 graus de um dia antes, que deixou seis mortos

Por Da Redação - 3 Apr 2014, 01h24

(Atualizado às 2h09)

Um forte terremoto de 7,6 graus na escala Richter sacudiu na noite desta quarta-feira o extremo norte do Chile, um dia após outro tremor, de 8,2 graus, abalar a mesma região, informou o Serviço Hidrográfico e Oceanográfico da Marinha chilena (SHOA), que emitiu, como ocorreu após o abalo da noite anterior, um novo alerta de tsunami para toda a costa do país e também do Peru.

Leia também:

Número de mortos em terremoto no Chile sobe para seis

Continua após a publicidade

O terremoto desta quarta, considerado uma réplica do sismo da véspera, ocorreu às 23h43 e seu epicentro foi situado 212 quilômetros a oeste da cidade de Iquique, segundo o serviço sismológico chileno. Cerca de duas horas depois do tremor, o alerta de tsunami foi cencelado na maior parte do litoral chileno e no Peru. Pouco tempo depois, o risco de uma onda gigante foi asfatado em todo o país.

Evacuação – O alerta de tsunami fez com que a população fosse retirada das localidades costeiras, especialmente em Arica, Iquique e Antofagasta, as cidades mais atingidas pelo tremor desta quarta-feira e também pelo da noite de terça, que provocou seis mortes.

Ricardo Toro, diretor do Escritório Nacional de Emergência, informou que a operação de evacuação envolve cerca de 928.000 pessoas. Ele declarou também que uma onda provocada pelo terremoto, mas de pequena proporção, atingiu algumas localidades da costa. Não há informações sobre vítimas ou danos materiais provocados pelo novo sismo.

A presidente chilena, Michelle Bachelet, que vistoriava os danos causados pelo tremor da véspera em Arica, 2.100 quilômetros ao norte da capital Santiago, foi levada para a parte alta da cidade, informou o canal chileno TVN. Os habitantes de Arica e Iquique foram alertados pelas sirenes e abandonaram suas casas nas zonas costeiras, seguindo para as regiões mais elevadas. Em Iquique, entre 7.000 e 8.000 pessoas passarão a noite em albergues, disse o prefeito Jorge Soria.

Continua após a publicidade

(Com agência France-Presse)

Publicidade