Clique e assine com até 92% de desconto

Chile lembra os 38 anos do golpe contra Allende

Milhares de pessoas protestaram e entraram em confronto com a polícia

Por Da Redação 11 set 2011, 16h40

O Chile lembrou neste domingo o 38° aniversário do golpe de estado que depôs o presidente socialista Salvador Allende e instalou a ditadura de Augusto Pinochet com passeata e confrontos com a polícia.

Convocadas pela Associação de Familiares de Presos Desaparecidos, milhares de pessoas se concentraram no centro de Santiago, levando bandeiras chilenas e cartazes em defesa da educação pública, seguindo pelas ruas da capital. Contudo, elas não conseguiram se aproximar do palácio presidencial de La Moneda, local onde ocorreu o golpe de estado, pois este estava cercado pelas forças da ordem.

A marcha foi encerrada com incidentes nas imediações do cemitério geral, quando um grupo de encapuzados enfrentou a polícia, atirando pedras e paus nos agentes, queimando pneus e outros objetos, além de atacar jornalistas e fotógrafos. A polícia usou jatos d’água e granadas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

Ainda foram registrados distúrbios menores, depois da instalação de barricadas, em bairros da periferia de Santiago e no porto vizinho de Valparaíso, com a detenção de quatro pessoas; um policial ficou ferido. Prevendo mais incidentes para a noite, o governo anunciou uma operação especial, enquanto o comércio fechou mais cedo suas lojas, para evitar incidentes.

Pinochet morreu aos 91 anos – no dia 10 de dezembro de 2006 – sem ter sido condenado pela Justiça, apesar de inúmeros processos abertos contra ele por violações aos direitos humanos e enriquecimento ilícito. Cerca de 3.225 morreram vítimas de uma ditadura que durou 17 anos.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade