Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Chile exuma o corpo de Salvador Allende

Exame determinará se ex-presidente se suicidou ou foi assassinado

Por Da Redação 23 Maio 2011, 12h39

A exumação do corpo do ex-presidente do Chile, Salvador Allende, foi iniciada na manhã desta segunda-feira. O caixão com os restos mortais do ex-presidente já foi retirado do mausoléu de sua família em Santiago e seu corpo foi encaminhado aos peritos do Serviço Médico Legal, mas os resultados ainda não foram divulgados.

A Justiça chilena havia ordenado o processo em abril, a pedido da filha do ex-presidente, a senadora e escritora Isabel Allende. O objetivo é determinar se ele foi assassinado ou se suicidou

“Como família, queremos manifestar antes de mais nada nossa satisfação pelos avanços conseguidos neste transcendental processo judicial para descobrir a verdade sobre o ocorrido no trágico 11 de setembro de 1973”, declarou Isabel Allende, depois que os restos mortais do ex-presidente chileno foram retirados do mausoléu.

Morte contraditória– Salvador Allende morreu com um tiro na cabeça em 11 de setembro de 1973 em meio a um bombardeio aéreo e terrestre no Palácio de La Moneda, quando o general Augusto Pinochet liderou um golpe de Estado. A versão oficial da história diz que o ex-presidente se suicidou durante o golpe, mas, como sua morte nunca foi formalmente investigada, há quem acredite que o Exército o matou e ocultou o crime.

A contradição entre as duas versões ganhou força em 2008, quando o renomado médico forense Luis Ravanal afirmou, baseado na necropsia efetuada no hospital militar de Santiago, que o ex-presidente não havia se suicidado, e sim, que fora assassinado. O médico pessoal de Allende, Patrício Guijón, que viu o corpo, ratifica o resultado de uma necropsia realizada no hospital militar em 1973, que determinou como suicídio a causa da morte.

O golpe militar que tirou Allende do poder levou a 17 anos de ditadura sob o governo do General Pinochet. Mais de 3.000 pessoas contrárias ao regime foram mortas ou “desapareceram”. A verificação da causa de morte de Allende é um dos 726 casos de abusos cometidos durante a ditadura que estão sob investigação no Chile.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade