Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chefe da diplomacia europeia diz que UE pode se ‘desintegrar’

União Europeia teme que outras nações do bloco sigam o precedente aberto pela Áustria e anunciem medidas para restringir a livre circulação de pessoas

A União Europeia (UE) corre o risco de se “desintegrar” se não responder de forma conjunta à crise migratória, advertiu a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, em uma entrevista. Se os europeus se limitarem a respostas nacionais ante um fenômeno europeu e não adotarem instrumentos à altura, “a crise se agravará, com reações em cadeia de opiniões públicas e de governos nacionais”, afirma Mogherini na entrevista ao jornal italiano Il Sole 24 Ore. “Sem estes instrumentos, há um risco de desintegração”, completa. A reposta de Federica aconteceu após uma pergunta sobre a cerca que a Áustria anunciou na sua fronteira com a Eslováquia.

A Áustria anunciou medidas para reforçar a segurança em sua fronteira com a Eslovênia, que irão incluir a construção de uma cerca para controlar o fluxo de migrantes. A cerca seria a primeira dentro do espaço Schengen – área de livre circulação de pessoas que abrange 26 países europeus, um dos pilares da União Europeia. A ministra do Interior austríaca, Johanna Mikl-Leitner, não forneceu detalhes sobre como seria a cerca, mas negou que seja um muro anti-imigrantes. “Isto é sobre garantir uma entrada ordenada e controla em nosso país, e não sobre fechar a fronteira”, declarou. “Uma cerca também tem uma porta”, acrescentou a ministra, respondendo assim às críticas de seus parceiros europeus, dois dias após uma cúpula europeia para tentar evitar que os Estados adotem medidas unilaterais nesta crise.

Leia também

Para conter refugiados, Áustria construirá cerca na fronteira com a Eslovênia

Vídeo: Pescadores turcos resgatam bebê refugiado que sobreviveu a naufrágio

Mulher e crianças morrem em nova tragédia com refugiados no mar

A decisão austríaca poderia desencadear, como teme a UE, decisões semelhantes por outros países por onde transitam os refugiados provenientes da Turquia e da Grécia, que querem alcançar países europeus, principalmente a Alemanha.

Tragédia na Grécia – Quatro crianças, dois homens e uma mulher morreram afogados e 38 imigrantes estão desaparecidos após um barco de madeira naufragar ao norte da ilha grega de Lesbos, informou a guarda costeira nesta quinta. A guarda costeira resgatou 242 pessoas de Lesbos na segunda-feira, no que foi o maior desastre marítimo na costa grega em termos de números de envolvidos desde que o fluxo de refugiados teve início neste ano. As buscas continuaram durante a noite. Lesbos, que fica a menos de 10 quilômetros da costa turca no Mar Egeu, se tornou um dos principais pontos para milhares de imigrantes que entram na UE.

Leia mais:

Imagem retrata ‘grito de um corpo silencioso’, diz autora de foto do menino sírio

Entenda a diferença entre imigrantes e refugiados

(Da redação)