Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Chefe da diplomacia dos EUA visita Kiev em meio a avanço da Rússia

Antony Blinken afirmou que pacote de ajuda militar americano de US$ 61 bilhões está à caminho da Ucrânia 'em momento desafiador'

Por Da Redação
Atualizado em 14 Maio 2024, 11h07 - Publicado em 14 Maio 2024, 10h07

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, desembarcou em Kiev nesta terça-feira, 14, em meio ao recente avanço das tropas russas na região de Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, e anunciou ao presidente Volodmyr Zelensky que uma parte do pacote de ajuda militar de US$ 61 bilhões (cerca de R$ 314,2 bilhões) aprovado pelo Congresso americano no mês passado já havia chegado ao país em guerra.

A viagem surpresa de Blinken reforçou o apoio de Washington a Kiev após um longo período em que a ajuda militar dos americanos foi suspensa, devido a um bloqueio dos republicanos linha-dura no Congresso dos Estados Unidos. Segundo o chefe da diplomacia da Casa Branca, o restante do financiamento está a caminho e “fará uma diferença real contra a contínua agressão russa no campo de batalha”.

“Sabemos que este é um momento desafiador. Mas também sabemos que no curto prazo a assistência está a caminho, parte dela já chegou e mais chegará”, garantiu Blinken.

Desvantagem ucraniana

A escassez de soldados e armas ucranianas permitiu que o exército russo avançasse gradativamente no território do país. Zelensky disse a Blinken que os equipamentos de defesa aérea representam “o maior déficit” para seu exército, que está em desvantagem em relação à Rússia.

O restante da ajuda militar a caminho inclui mísseis de longo alcance, conhecidos como ATACMS, artilharia e interceptadores de defesa aérea. 

Continua após a publicidade

Urgência

Na segunda-feira 13, o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, afirmou que Washington estava tentando “acelerar o ritmo das entregas” de armas à Ucrânia, e que um novo pacote de armas seria anunciado esta semana.

“O atraso colocou a Ucrânia num buraco e estamos a tentar ajudá-los a sair desse buraco o mais rapidamente possível”, disse ele.

Cerca de 18% do território ucraniano está sob controle da Rússia, que avança cada vez mais devido à ofensiva no norte da região de Kharkiv, onde fica a segunda maior cidade da Ucrânia, e a intensificação de seus ataques aéreos de longo alcance contra infraestruturas energéticas desde março. 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.