Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Chávez melhora, diz governo, mas estado segue ‘delicado’

Infecção respiratória está controlada, porém o paciente requer 'medidas específicas', afirmou o ministro da Comunicação Ernesto Villegas

Por Da Redação 14 jan 2013, 00h06

O ministro da Comunicação da Venezuela, Ernesto Villegas, afirmou neste domingo em pronunciamento na TV que Hugo Chávez necessita de “medidas específicas” em função do quadro de insuficiência respiratória que enfrenta desde que foi submetido à quarta cirurgia para tratar um câncer, em Cuba. Mas sua saúde evoluiu de maneira favorável nos últimos dias no que diz respeito à infecção pulmonar.

Leia também:

Raúl Castro se reúne com cúpula chavista em Cuba

OEA respeita decisão da Venezuela sobre Chávez

“A infecção respiratória está controlada, apesar de o comandante presidente ainda requerer medidas específicas para a solução da insuficiência respiratória”, leu Villegas em um comunicado que foi transmitido por todos os meios de comunicação locais.

Continua após a publicidade

Segundo ele, a condição médica de Chávez, de 58 anos, teve uma evolução favorável nos últimos dias e o caudilho “se mantém cumprindo rigidamente o tratamento médico”, afirmou o ministro, sem dar maiores detalhes. “Apesar de seu delicado estado de saúde depois da complexa intervenção cirúrgica, nos últimos dias a evolução clínica geral foi propícia”, disse Ernesto Villegas. Além disso, o ministro afirmou que “o presidente está consciente, se comunicando com sua família, com suas equipes política e médica, e mantendo-se a par das informações de interesse”.

Entrevista: populismo chavista afunda economia venezuelana, diz especialista

Chávez foi operado pela quarta vez de um câncer situado na região pélvica e cuja natureza não foi informada oficialmente. A cirurgia ocorreu em 11 de dezembro, em Havana, e desde que viajou para Cuba o caudilho não é visto em público. No comunicado oficial anterior sobre sua saúde, emitido no último dia 7, informou-se que Chávez se mantinha “estável” e com uma insuficiência respiratória produzida por uma severa infecção pulmonar.

No pronunciamento desta noite, Villegas pediu aos venezuelanos para se unirem em oração nesta segunda-feira, dia da procissão de Nossa Senhora da Divina Pastora, “para que a Padroeira de Barquisimeto (no oeste da Venezuela) encha nossa Pátria de paz e felicidade”, assinalou.

(Com agências EFE e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade