Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Chávez ameaça prender assessores de Uribe caso visitem Venezuela

Por Da Redação
24 dez 2011, 18h54

Caracas, 24 dez (EFE).- O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, ameaçou prender neste sábado alguns assessores do ex-governante colombiano Álvaro Uribe caso atendam o convite feito por um prefeito opositor, o qual recentemente assinou um convênio de segurança com o grupo e tornou pública essa visita.

‘Parece que um prefeito assinou um convênio (…) se alguém tentasse entrar em nosso país, seja quem for. Sabemos para que eles vão vir e não vão entrar neste país, não mesmo. Se entrarem por caminhos verdes (vias não legais) e nós pegarmos, vão ficar presos’, disse Chávez em um Conselho extraordinário de Ministros.

Apesar de não ser explicito, o chefe de Estado fazia uma referência clara ao prefeito do município de Chacao, Emilio Graterón, que anunciou no último dia 17 a subscrição de um convênio de segurança com assessores da equipe de Uribe (2002-2010) para reforçar o policiamento de sua região.

Graterón também anunciou a visita de dois assessores de segurança do ex-presidente colombiano, José Obdulio Gaviria Vélez e Alfredo Rangel, isso dois dias depois que o líder de seu partido e pré-candidato opositor, Leopoldo López, se reunisse com Uribe em Bogotá.

Continua após a publicidade

‘Se vieram aqui para tumultuaram nosso país, não vamos permitir’, insistiu Chávez. ‘E perfeito ou o governador que fizer, ou pretenda fazê-lo, deveremos aplicar a Constituição e a lei com todo o rigor’, assinalou.

Chávez disse que seu Governo não vai permitir ‘novamente’ que se repitam essas situações, como o suposto convite da oposição ao ex-chefe da polícia de Nova York, William Bratton. ‘Não vamos ajudar ninguém aplicar um golpe de Estado’, afirmou o líder venezuelano.

‘Não podemos permitir que essa situação se repita’, exclamou o governante ao se referir aos seus oponentes, que, assegurou, estão conscientes de que vão perder as eleições presidenciais de 7 de outubro de 2012.

Continua após a publicidade

‘Já estão buscando caminhos verdes (ilegais). Querem achar atalhos para desestabilizarem o país’, manifestou Chávez.

No último dia 19 de dezembro, o governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) acusou a oposição de querer ‘importar paramilitares’ após as reuniões de López com o ex-presidente colombiano e o anúncio do prefeito Graterón.

‘Trazer estes cavalheiros aqui é importar paramilitares, é trazer a violência que o Uribe impôs na Colômbia para a Venezuela. Nós não vamos aceitar isso’, afirmou o primeiro vice-presidente do partido governista, Diosdado Cabello. EFE

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.