Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chávez afirma que vencerá câncer e eleições venezuelanas em retorno ao país

José Luis Paniagua.

Caracas, 17 mar (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, afirmou neste sábado, em um reencontro com seus seguidores, que não será derrotado pelo câncer e previu um triunfo ‘memorável’ nas eleições presidenciais de outubro, quando concorrerá com o candidato de unidade da oposição, Henrique Capriles.

Três semanas após partir com direção a Cuba para operar um tumor cancerígeno, recorrência do câncer pelo qual passou por uma cirurgia há nove meses, Chávez voltou neste sábado ao Balcão do Povo de Miraflores, sede do Governo, para discursar a seus seguidores com um tom triunfalista com relação às eleições de outubro.

Enquanto isso, Capriles, que desenvolve uma intensa pré-campanha pelo país, também se referiu ao retorno do presidente ao afirmar que a atitude do líder deveria ser a de gerar paz e não a de voltar ao país para continuar recorrendo aos ‘insultos’ e à divisão dos venezuelanos.

O presidente agradeceu a seus seguidores e colaboradores por seu trabalho durante os dias em que esteve ausente. Ele fez poucos comentários sobre seu estado de saúde, mas perante as insistências de seus seguidores, que gritavam ‘cuide-se’ e ‘repouso’, afirmou que está tendo os cuidados necessários.

‘Agora tenho que começar o tratamento de radioterapia nos próximos dias. A radioterapia ataca qualquer nova ameaça. Este câncer não poderá com Chávez não’, disse o presidente.

O governante chegou na sexta-feira à Venezuela após três semanas em Cuba, onde passou por uma cirurgia no dia 26 para a extração de um tumor cancerígeno, uma recorrência do câncer que foi diagnosticado na região pélvica e pelo qual foi operado em junho do ano passado.

Chávez disse após a operação que não tem metástases e que realizaria a radioterapia uma vez fosse concluída a cicatrização após esta cirurgia.

Neste sábado, ele voltou a responder a comentários sobre seu suposto estado de saúde.

‘Esse é outro cântico da oposição, de que eu estou morrendo, que não vou aguentar a campanha’, acrescentou, ao dizer que seus adversários imaginam uma ‘telenovela’ sobre supostos pactos internos do Governo para quando ele morrer.

‘Aqui estou de novo no retorno permanente, carregado com mais força, mais amor e vontade de viver. Viverei com o favor de Deus e Cristo, meu senhor, e o amor do povo. Viveremos e venceremos’, acrescentou ao se despedir.

Chávez dedicou grande parte de seu discurso a falar das eleições, carregando contra seus adversários e afirmando a vitória.

‘A surra que vamos dar na direita venezuelana será uma surra memorável’, disse, fazendo alusão a enquetes divulgadas nos últimos dias que lhe dão vantagem em intenções de voto sobre Capriles, com porcentagens que oscilam entre 18 e 33 pontos.

O governante disse que ‘a direita venezuelana’, como chama a oposição, ‘é suja, nunca jogou limpo (…) não sabe jogar limpo, sempre terá cartas escondidas e já começou a tirá-las, desesperada como está’.

Além disso, ele pediu a seus seguidores que se mobilizem nas vésperas da disputa eleitoral e não deixem que a oposição tome as ruas.

‘Uma pessoa que está doente deveria ter outra atitude. Sua atitude deveria ser de gerar paz, tranquilidade’, disse Capriles a jornalistas neste sábado durante ato político.

O jovem governador de Miranda reagiu desta forma a acusações de Chávez, que atribuiu à oposição uma ‘agenda do medo’ e uma ‘irresponsabilidade criminosa’ por denúncias que um governador opositor fez sobre a qualidade da água para consumo humano nos estados centrais e na capital venezuelana.

‘Quando alguém está em uma situação de fraqueza, ouça, a fraqueza tem que servir para humanizar, para abrir seu coração, para permitir que Deus entre em seu coração’, acrescentou o candidato da oposição às eleições presidenciais de outubro.

‘Esperamos que o candidato do PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela, de Governo) não faça o que já estamos acostumados: os insultos, as desqualificações, tentar sempre dividir os venezuelanos, tentar dividir os venezuelanos também na solução de seus problemas’, acrescentou.

Capriles será o candidato de unidade da oposição nas eleições de outubro, nas quais Chávez tenta a sua terceira reeleição. EFE