Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Chanceler russo nega rumores sobre suposta doença grave de Putin

Autoridades internacionais sugeriram que o presidente russo sofre de sério problema de saúde e que a condição teria relação com a guerra na Ucrânia

Por Da Redação 30 Maio 2022, 11h39

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, negou rumores de que o presidente russo, Vladimir Putin, esconde uma doença grave. Agentes do serviço de inteligência britânica e autoridades da Ucrânia sugeriram que o líder russo poderia estar sofrendo de câncer e que existem esforços em Moscou para derrubá-lo do poder. 

“Eu não acho que uma pessoa sã possa suspeitar de qualquer sinal de doença ou enfermidade neste homem”, disse Lavrov em entrevista à emissora francesa TF1 no domingo 29. De acordo com informações da agência de notícias russa TASS, o chanceler argumentou que é impossível o líder russo estar com a saúde gravemente comprometida, se o mesmo faz aparições públicas e emite discursos na mídia diariamente.

Classificando as alegações como caluniosas, o ministro russo disse que deixaria o assunto “para a consciência de quem espalha esses rumores”. Outras autoridades russas também negaram que Putin esteja doente.

O ex-agente do serviço secreto de inteligência britânico (MI6), Christopher Steele, afirmou que Putin “está seriamente doente” e que essa condição poderia ter influenciado sua invasão na Ucrânia. “Não está claro exatamente o que é esta doença. Se é incurável ou terminal, ou qualquer outra coisa. Mas certamente, acho que é parte da equação”, afirmou Steele à emissora europeia Sky News, emissora europeia no início de maio.

Em entrevista ao mesmo canal de TV, o major-general Kyrylo Budanov, chefe de inteligência militar da Ucrânia, também sugeriu que o líder russo está com câncer e que esforços para derrubar Putin estão em andamento em Moscou. Relatos na mídia russa também reforçaram os rumores de que o presidente russo sofre de problemas de saúde ao longo dos anos.

Contudo, especialistas militares e de inteligência dos Estados Unidos disseram a jornalistas do site de notícias Insider que não existem evidências verificáveis que comprovem o suposto problema de saúde de Putin. 

O chefe de Estado russo, que fará 70 anos em outubro e está no poder desde 1999, tem sido alvo de rumores sobre sua saúde mesmo antes do início da guerra na Ucrânia, em fevereiro. As especulações foram levantadas quando o líder do Kremlin apareceu com um aspecto mais inchado, atribuído a tratamentos contra câncer, e com alguma rigidez nas mãos e braços que foi associada à doença de Parkinson.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)