Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Centro-esquerda derrota populismo e vence nas maiores cidades da Itália

Roma e Turim finalizaram segundo turno nesta segunda-feira (18). Vitória consolida onda de esquerda no país

Por Ernesto Neves Atualizado em 18 out 2021, 21h26 - Publicado em 18 out 2021, 20h01

Políticos de centro-esquerda obtiveram vitórias robustas no segundo turno das eleições municipais de Roma e Turim nesta segunda-feira (18).

O avanço se soma à conquista das prefeituras de Milão, Bolonha e Nápoles ainda no primeiro turno, quinze dias atrás, um quadro que faz as cinco maiores cidades do país terem agora governos de esquerda.

A onda também demonstra crescente rejeição ao populismo de direita exibidos por partidos como o Movimento 5 Estrelas (M5S). 

Em Roma, Roberto Gualtieri, do Partido Democrático (PD), ex-ministro da Economia, venceu com 60% dos votos, enquanto Enrico Michetti, de direita, ficou com 40%.

O novo prefeito irá suceder Virginia Raggi, figura fundamental do M5S. O partido conquistou projeção nacional a partir de 2016, com uma plataforma xenofóbica e anti-elite.

Em Turim, Stefano Lo Russo, também do PD, obteve mais de 60%  contra Paolo Damilano, de direita. A cidade também era governada por um político do M5S.

Esses resultados representam um golpe para Matteo Salvini e Giorgia Meloni, expoentes dos partidos de extrema direita Liga e Irmãos de Itália.

Já o bloco da direita, liderado pelo Força Itália, de Silvio Berlusconi, possui sua base centrada em cidades do interior, e foi menos atingido pela mudança nas urnas.

Gualtieri enfrentará enormes desafios na gestão de Roma. A capital italiana tem uma dívida de 13 bilhões de euros e, segundo pesquisa recente feita por uma consultoria, os últimos cinco prefeitos da cidade não cumpriram suas promessas eleitorais por falta de dinheiro.

Continua após a publicidade

Publicidade