Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Centro de Goya, a ‘Pequena Paris’ argentina, será tombado

Por Daniel Garcia
13 set 2011, 16h50

O centro histórico da cidade argentina de Goya (nordeste), apelidado de “a pequena Paris” por causa da arquitetura de suas construções do século XIX, será tombado e se tornará área protegida, segundo relatório do Conselho Nacional de Monumentos (CNM) obtido pela AFP nesta terça-feira.

A maior autoridade em matéria de patrimônio histórico na Argentina pediu à cidade de Goya que “modifique as regras de urbanismo em vigor para ficar em conformidade com a declaração que estabelece o tombamento histórico”, de acordo com um relatório da arquiteta Laura Weber, conselheira do CNM.

Um escândalo ligado ao patrimônio de Goya eclodiu em dezembro quando o teatro Solari, um monumento histórico de propriedade particular, foi colocado à venda. Os argentinos descobriram neste momento o estado deplorável em que o teatro, o mais antigo do país, encontrava-se.

O CNM ordenou a demolição dos locais comerciais que desfiguravam sua fachada e sua posterior restauração. O governador da província de Corrientes, Ricardo Colombi, reuniu-se com o proprietário e parecia que o teatro seria reformado.

Nove meses depois, nada foi feito e a situação se agravou no centro histórico: uma casa antiga de frente para o teatro foi posta a baixo; em seu lugar construíram um prédio “que rompe com a linha arquitetônica das casas e de toda a cidade”, segundo o documento do CNM, que decidiu proteger todo o centro histórico.

Continua após a publicidade

“O valor patrimonial do centro de Goya merece ser preservado”, declarou à AFP Teresa Anchorena, membro do CNM e autora do projeto de declaração que torna Goya um “lugar histórico”.

O Solari, inaugurado em 1877, foi o primeiro teatro construído e era conhecido por suas apresentações luxuosas que valeu a essa cidade de aproximadamente 80.000 habitantes a comparação com a Cidade Luz. O célebre teatro Colon de Buenos Aires data de 1908.

Antes muito rica, Goya se tornou uma das cidades mais pobres do país. “É uma situação inesperada por Goya”, declarou o pintor Rodolfo Insaurralde, membro da ONG Projet Goya de defesa ao patrimônio da cidade. “Esta declaração abre o caminho do turismo cultural”, acrescentou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.