Clique e assine a partir de 9,90/mês

Catorze morrem e 58 ficam feridos durante série de ataques

Objetivo dos atentados promovidos por rebeldes talibãs era desestabilizar as eleições legislativas deste sábado

Por Da Redação - 18 set 2010, 16h52

Era para ser um dia da democracia, mas acabou se transformando numa data marcada por atos terroristas. Catorze pessoas morreram e 58 ficaram feridas nos ataques de rebeldes talibãs realizados neste sábado durante as eleições legislativas no Afeganistão, de acordo com anúncio do ministro do Interior, Besmula Mohamadi. “Três policiais morreram e treze ficaram feridos nesses ataques”, afirmou Mohamadi em coletiva de imprensa, acrescentando que foram onze civis mortos e 45 feridos.

Os ataques começaram ainda de madrugada. Um foguete foi disparado contra o centro de comando da Otan em Cabul, horas antes da abertura das urnas. Ninguém ficou ferido. Seis pessoas morreram em ataques com foguetes perto de locais de votação no norte e leste do país. Três pessoas morreram e outra ficou ferida na província de Kunar (leste). Um ataque com morteiro na província de Takhar (norte) também matou um homem e feriu dois de seus filhos. Além disso, Toryalai Wisa, o governador da província de Kandahar (sul), reduto dos talibãs, anunciou ter escapado da explosão de uma bomba na passagem de seu veículo.

Os talibãs são contra a votação e ameaçavam, desde quinta-feira, iniciar uma onda de ataques terroristas, principalmente, contra as forças de segurança, que ocupam o país, e os funcionários que trabalham nos locais de votação. Os rebeldes clamavam por “guerra santa e resistência” contra os “invasores estrangeiros”.

Na sexta-feira, os talibãs sequestraram dezenove pessoas – um candidato às eleições legislativas, dez partidários de outro candidato e oito funcionários da comissão eleitoral – colocando em prática a ameaça. Também na sexta os rebeldes dispararam foguetes contra a província de Nangarhar, leste do país, matando duas pessoas e ferindo uma terceira.

Em resposta às ameaças, o presidente Hamid Karzai pediu aos afegãos que não deixassem de votar. “Tenho a esperança de que nosso povo, em todos os cantos do país, em todas as cidades e em todas as províncias, vá aos centros eleitorais para votar por seus candidatos preferidos, para que seu voto conduza a uma maior estabilidade do país”, declarou.

Apesar dos atentados, cerca de 3,6 milhões de eleitores compareceram às urnas em 4.632 centros de votação e a participação foi estimada em 40% pela comissão eleitoral. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, saudou neste sábado “a coragem e a determinação” dos eleitores afegãos que foram aos centros de votação apesar das ameaças dos talibãs. Em comunicado oficial, Ban Ki-Moon “pediu paciência para que as instâncias eleitorais concluam o processo em conformidade com a lei”. Os resultados oficiais definitivos devem ser divulgados apenas no dia 31 de outubro.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade