Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Casal de brasileiros é julgado culpado nos EUA por sequestro de neto

Tribunal de Houston, no Texas, deu a guarda de Nico, de 8 anos, para o pai americano; avós podem ser condenados a até três anos de prisão

Por Da Redação 25 Maio 2018, 17h37

A Justiça de Houston, nos Estados Unidos, considerou os brasileiros Carlos e Jemima Guimarães culpados do sequestro de seu neto, trazido ao Brasil pela mãe. O veredito conclui a longa batalha judicial do pai do menino, Christopher Brann, pela guarda de Nico, de 8 anos.

Carlos e Jemima foram absolvidos de outras acusações pelo tribunal. Embora considerados culpados, o veredito caiu em terreno incerto quando o juiz disse que considerará uma petição da defesa em favor da absolvição do casal de todas as acusações, segundo o jornal Houston Chronicle.

Este tipo de anulação raramente é concedido. A previsão é de que o casal sexagenário seja condenado dentro de dois ou três meses, se o veredito for mantido. Eles receberão pena máxima de três anos de prisão. Marcelle Guimarães e seu filho Nico estão no Brasil.

Os Guimarães foram presos em fevereiro, quando chegaram a Miami para férias. Eles foram acusados de colaborar com o sequestro de seu neto há cinco anos. Depois de separar-se de seu marido, Marcelle viajou ao Brasil 2013, com a promessa de retornar aos Estados Unidos.

Continua após a publicidade

Marcelle, no entanto, pediu e conseguiu a custódia total do menino na Justiça brasileira. Desde então, o médico americano Christopher Brann tenta recuperar a guarda de Nico.

Brann chegou a levar o caso ao Congresso americano, onde pediu a imposição de sanções ao Brasil por descumprir a convenção de Haia sobre o sequestro internacional de menores.

Durante o julgamento, o casal Guimarães apresentou provas de que a mãe do menino fugira de violência doméstica.  “Estamos abatidos”, disse o advogado de defesa, Rusty Hardy, à emissora KHOU-TV.

Um caso similar resultou na aprovação nos Estados Unidos, em 2014, da Lei Sean Goldman, que autoriza o governo americano a tomar medidas quando outro país se negar a devolver crianças americanas sequestradas.

O menino Sean foi trazido ao Brasil pela mãe que, anos depois, novamente casou-se e faleceu. A guarda do menino passou aos avós maternos, mas foi questionada pelo pai de Sean. A Justiça brasileira acabou concordando com a devolução da criança ao pai, em 2009, que o levou aos Estados Unidos.

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)