Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Casa Branca exige retorno da ordem constitucional no Mali

Por - 22 mar 2012, 12h06

Os Estados Unidos “condenam com veemência” o golpe de Estado no Mali e exigem “o retorno imediato da ordem constitucional” no país, declarou nesta quinta-feira o porta-voz da Casa Branca.

Washington “é solidário aos malinenses e ao governo legitimamente eleito do presidente Amadou Toumani Touré”, acrescentou o porta-voz Jay Carney, em um comunicado.

O governo americano exortou a “imediata restauração da ordem constitucional (…) incluindo a autoridade civil completa sobre as Forças Armadas e o respeito às instituições e tradições democráticas”.

Uma junta militar assumiu nesta quinta-feira o poder em Bamaco após várias horas de confrontos e dissolveu as instituições, alegando a necessidade de combater com eficácia a rebelião tuaregue e grupos armados islamitas que atuam no norte do país.

Em medida adotada logo após o golpe, os militares fecharam “todas as fronteiras até nova ordem”, declarou à AFP o sargento golpista Salif Koné, membro do Comitê Nacional para a Recuperação da Democracia e a Restauração do Estado (CNRDRE).

Uma fonte aeroportuária já havia indicado antes desse anúncio que o aeroporto de Bamaco tinha sido fechado e os voos, cancelados até nova ordem.

A junta militar que tomou o poder no Mali anunciou que pôs fim a um “regime incompetente” e anunciou a dissolução de todas as instituições, assim como a suspensão da Constituição e um toque recolher, em um anúncio feito por rádio e televisão.

Pouco antes, a União Europeia (UE) já havia condenado o golpe de Estado, pedindo o retorno da ordem constitucional.

Continua após a publicidade

Publicidade