Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Carro-bomba e confrontos matam pelo menos 30 na Síria

Observatório Sírio afirma que a bomba foi detonada por um suicida do grupo terrorista al Qaeda. Morreram 15 rebeldes e 16 soldados

Pelo menos 30 pessoas foram mortas por um carro-bomba e por confrontos em um posto de controle na periferia de Damasco, no sábado. O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, pró-oposição, disse que a bomba foi detonada por um suicida do grupo terrorista al Qaeda, ligado à milícia islâmica Nusra, e matou 15 rebeldes e pelo menos 16 soldados. Em outro lugar, perto da capital, as forças sírias tentaram invadir o subúrbio de Mouadamiya, que foi bloqueado pelo exército durante meses, levando a um crescente número de mortes por fome e desnutrição.

Regime sírio afirma que conferência de paz ocorrerá no final de novembro

Explosão de micro-ônibus na Síria deixa 21 mortos

Conselho de Segurança aprova missão ONU-Opaq na Síria

Apoiadores do Nusra disseram no Twitter que o suicida tinha a intenção de se explodir dentro do carro, mas em vez disso saiu do veículo antes de detonar os explosivos. A televisão estatal síria reportou a explosão, dizendo que várias pessoas haviam sido mortas ou feridas em um atentado terrorista.

O Observatório disse que caças sírios retaliaram com ataques próximos das áreas comandadas pela oposição, como a cidade de Mleiha. Um vídeo enviado por ativistas mostrou uma enorme coluna de fumaça no local e o som de caças voando por cima da cidade.

Rebeldes também dispararam foguetes em Jaramana, subúrbio de Damasco controlado pelo governo, de acordo com o Observatório. O mesmo instituto informou que a Força Aérea realizou quatro ataques a distritos rebeldes adjacentes.

Histórico – Mais de 100.000 pessoas foram mortas da guerra civil que já dura dois anos e meio na Síria e que começou com protestos populares contra o presidente Bashar al-Assad.

(Com Reuters)