Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Capitólio investiga ameaças feitas contra Todd Akin

O congressista republicano causou mal-estar recentemente ao declarar que o corpo da mulher pode evitar a gravidez em casos de estupro

Por Da Redação 24 ago 2012, 10h00

A polícia do capitólio, a câmara legislativa dos Estados Unidos, anunciou estar investigando uma série de ameaças feitas contra o deputado republicano Todd Akin e sua família após ele provocar escândalo ao afirmar, no último domingo, que o corpo da mulher pode evitar a gravidez em casos de estupro.

Leia também:

Barack Obama ataca republicanos: ‘Jogam duro e sujo’

A porta-voz do organismo, a tenente Kimberly Schneider, explicou que a força policial do capitólio está trabalhando junto ao FBI para avaliar a ameaça reportada. Ela, no entanto, não deu mais detalhes sobre o caso, alegando cumprir um protocolo de segurança.

O representante do deputado Steve Taylor, por sua vez, disse, em entrevista ao jornal Washigton Post , que “nos últimos dias foram feitas ameaças de estupro contra a equipe (política de Akin) e a família do congressista”, além de advertências de que pessoas poderiam morrer. Desta forma, Taylor explicou que as forças policiais estão investigando quais intimidações realmente são perigosas.

Histórico – Akin, que é contra o aborto, causou alvoroço ao afirmar, durante uma entrevista na TV, que “casos de gravidez depois de estupro são muito raros”. Segundo ele, as mulheres têm defesas biológicas que evitam a gestação no caso de um “estupro verdadeiro”. Por isso, segundo ele, seria desnecessário garantir às vítimas o direito de impedir a gravidez. As declarações tiveram grande repercussão nos Estados Unidos e refletiram na campanha eleitoral do republicano Mitt Romney, que chegou a pedir que Akin desistisse de concorrer a uma vaga no senado.

(Com Agência France-Presse e Washington Post)

Continua após a publicidade

Publicidade