Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Capitã que salvou 40 migrantes no mar processará o italiano Matteo Salvini

Carola Rackete, capitã do navio humanitário Sea Watch 3, é tratada com insultos pelo vice-primeiro-ministro, de extrema direita

A defesa de Carola Rackete, capitã do navio humanitário Sea Watch 3, anunciou nesta sexta-feira, 5, que processará por difamação o vice-primeiro-ministro italiano, Matteo Salvini. O advogado Alessandro Gamberini declarou a uma rádio italiana não ser fácil levantar “o inventário de todos os insultos formulados por Salvini nas últimas semanas” contra a capitã alemã.

“No circuito destes leões do teclado acostumados aos insultos, é ele que remove as turvas águas do ódio. Uma ação por difamação é uma forma de lançar um sinal”, acrescentou Gamberini.

No comando do Sea Watch 3, Carola Rackete foi detida no último dia 1º depois de ter atracado, sem autorização, na ilha italiana de Lampedusa. Ela pretendia desembarcar os 40 migrantes que resgatara no Mar Mediterrâneo e que estavam a bordo por mais de duas semanas.

Na terça, uma juiz italiana invalidou sua detenção, argumentando que Carola agiu para salvar vidas. Duas investigações diferentes, por resistência a um oficial e por ajuda à imigração clandestina, seguem em curso contra ela na Itália.

Nas redes sociais, Salvini reagiu ao anúncio. “Ela viola as leis, ataca navios militares italianos e depois me processa”, escreveu o vice-primeiro-ministro de extrema direita. “Não tenho medo dos mafiosos, imagine então de uma comunista alemã rica e mimada… Beijões”, acrescentou.

Durante toda a duração da crise, Salvini aumentou o tom de suas declarações e os tuítes furiosos contra Carola, descrevendo-a como “problemática”, “criminosa” e “uma pobre mulher que apenas tentou matar cinco militares italianos”.

(Com AFP)