Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Candidatos sul-coreanos unem forças contra adversária

Park Geun-hye, do partido governista, é popular entre eleitores conservadores, mas promete seguir uma linha mais conciliadora em relação à Coreia do Norte

Por Da Redação 7 nov 2012, 11h48

A 43 dias das eleições presidenciais na Coreia do Sul, dois candidatos decidiram unir forças em um esforço para desafiar a rival conservadora, em um movimento que pode ser um divisor de águas para a votação no mês que vem. A Coreia do Sul é um importante aliado dos Estados Unidos na Ásia, e as eleições ocorrem em meio às intermináveis tensões sobre o programa nuclear norte-coreano.

Leia também:

Leia também: O que o estilo ‘dinâmico’ de Kim Jong-un tem de fato a dizer

Em uma reunião a portas fechadas na terça-feira, os dois presidenciáveis da esquerda ​​sul-coreana, Moon Jae-in, do Partido Democrático Unido (PDU), e Ahn Cheol-soo, magnata da área de informática e ex-professor, concordaram em escolher apenas um candidato entre eles para concorrer com Park Geun-hye, candidata do partido governista Saenuri. Até agora não foi decidido qual deles continuará na disputa. O partido de Park é chamado por seus adversários de “um show destinado a confundir os eleitores”.

O atual presidente sul-coreano, Lee Myung-bak, do Partido Saenuri, está impedido pela Constituição de concorrer a mais um mandato. Todos os três candidatos devem seguir uma linha mais conciliadora em relação à Coreia do Norte do que Lee, que teve uma abordagem intransigente de relações com Pyongyang. Popular entre os eleitores conservadores, Park está na frente nas pesquisas, com 42,1% das intenções de voto. Se eleita, se tornará a primeira mulher presidente do país.

Continua após a publicidade
Publicidade