Clique e assine a partir de 8,90/mês

Candidato a prefeito de Nova York admite 3 casos sexuais

Anthony Weiner se envolve em nova controvérsia após renúncia a Congresso

Por Da Redação - 26 jul 2013, 13h08

O candidato à prefeitura de Nova York Anthony Weiner admitiu, nesta quinta-feira, que trocou mensagens virtuais de teor sexual de maneira frequente com ao menos três mulheres após sua renúncia ao Congresso, em 2011, motivada por um escândalo sexual semelhante. Na terça-feira, um site de fofocas revelou mensagens e fotos de conteúdo sexual entre Weiner e uma jovem de 23 anos em agosto de 2012, o que levou adversários do político a exigir sua saída da corrida à sucessão do prefeito Michael Bloomberg.

Os efeitos das novas revelações sobre Weiner, de 48 anos, provocaram uma queda acentuada nas pesquisas. O candidato passou de 52% para 30% das intenções de voto, segundo uma sondagem encomendada pela rede NBC e pelo jornal Wall Street Journal. Até o surgimento do novo escândalo, Weiner lutava palmo a palmo com a favorita e presidente do Conselho Municipal, Christine Quinn.

Saiba mais:

Saiba mais: Seis escândalos sexuais recentes que abalaram os EUA

Em entrevista a um programa da rede CNN, a jovem de 23 anos que trocou mensagens e fotos eróticas com Weiner, Sydney Leathers, disse que se sentiu “manipulada” pelo ex-congressista. “Eu me sentia manipulada. Obviamente eu sentia como se ele falasse uma coisa para mim, outra para a mulher dele e outra na campanha. Não sei quem é o verdadeiro Anthony Weiner”, afirmou.

Casos – Na terça-feira, Weiner admitiu em coletiva de imprensa, ao lado de sua mulher, Huma Abedin, que não havia parado de praticar sexo virtual com jovens mulheres e disse que outros casos poderiam ser divulgados. Na quinta, afirmou que não teve “dúzias e dúzias” de casos na internet, mas “apenas três”.

A publicação no Twitter, em 2011, de fotos de conteúdo sexual – destinadas em princípio a uma jovem estudante que ele não conhecia pessoalmente – destruiu a carreira de Weiner. Até esse episódio, ele era um congressista que gozava de grande prestígio junto ao eleitorado.

Depois de dois anos nas sombras, o ex-congressista voltou à política em maio passado, lançando sua candidatura para tentar suceder o atual prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, que termina seu terceiro mandato no final de dezembro.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade