Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Campanha para eleições regionais tem início na Venezuela

Capriles, que impôs acirrada disputa a Chávez, tentará se reeleger governador

O período de campanha para as eleições regionais na Venezuela teve início nesta quinta-feira e vai até o dia 13 de dezembro, três dias antes do pleito que vai definir 23 governadores, 237 representantes de Conselhos Legislativos e oito representantes indígenas na Assembleia Nacional.

A disputa pelo governo de Miranda, tradicional reduto oposicionista, deverá atrair a atenção por colocar de novo sob os holofotes o opositor Henrique Capriles, que impôs a Hugo Chávez a mais acirrada disputa de seus quase 14 anos no poder. Mesmo não conseguindo vencer o coronel, que se reelegeu para um quarto mandato consecutivo, a oposição, unida, deu uma demonstração de força, que tentará ratificar nas eleições regionais.

Leia também:

Venezuela: oposição denuncia ‘eleições livres, mas injustas’

Para duelar com Capriles, o governo escolheu Elías Jaua, ex-vice presidente, que foi liberado para a campanha logo depois da eleição presidencial – para sua vaga, Chávez nomeou o ex-chanceler Nicolás Maduro.

Um novo desafio para a oposição será motivar o eleitor a votar. Na disputa presidencial, o feito foi alcançado, com uma participação histórica de mais de 80% dos cidadãos.

Saiba mais:

Oposição promete continuar unida contra Hugo Chávez

O jornal venezuelano El Nacional alertou para a possibilidade de um alto índice de abstenção nas eleições regionais. Em 2008, a abstenção alcançou 38%. O diário avaliou que a distância entre uma eleição e outra – as presidenciais foram realizadas no dia 7 de outubro – pode desfavorecer a oposição, que não teria tempo suficiente para se mobilizar.