Clique e assine a partir de 9,90/mês

Campanha difamatória a Bill Gates o aponta como criador do coronavírus

Filantropo que doou 60 milhões para o combate à pandemia é caluniado em 16.000 posts de Facebook e vídeos no Youtube com mais de 5 milhões de visualizações

Por Da Redação - Atualizado em 17 abr 2020, 20h31 - Publicado em 17 abr 2020, 19h00

Uma palestra de Bill Gates de 2015, na qual o empresário comenta sobre o preparo do mundo para o controle de uma eventual epidemia, tem sido manipulada na internet para associar o magnata à origem da pandemia da Covid-19 que adoeceu 2 milhões de pessoas e matou cerca de 140.000, segundo o relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) desta sexta-feira, 17. A campanha difamatória se dá no momento em que Gates mantém posição crítica  sobre a política reticente do presidente americano, Donald Trump, no combate à pandemia.

Dentre as alegações difamatórias contra Gates está a de que o magnata teria criado o SARS-CoV-2, coronavírus que causa a Covid-19, e a de querer se aproveitar financeiramente de uma futura vacina para a doença.

A campanha de desinformação envolve mais de 16.000 posts no Facebook, curtidos até 900.000 vezes, e vídeos com até 5 milhões de visualizações no YouTube, de acordo com uma estimativa do jornal The New York Times.

Diversos usuários envolvidos na publicação e no compartilhamento desses conteúdos se identificam como membros de movimentos antivacina ou até mesmo de um grupo de teoria da conspiração conhecido como QAnon, que acredita na existência do Deep State, um complô para derrubar Trump da presidência. O próprio presidente já afirmou acreditar que exista um Deep State.

Continua após a publicidade

Gates recentemente tem criticado a forma como o governo federal americano tem conduzido o combate à Covid-19. Em especial, foi crítico na quinta-feira 16, quando Trump decidiu cortar os aportes de recursos americanos na OMS.

“Interromper o financiamento da OMS durante uma crise mundial de saúde é tão perigoso quanto parece. O trabalho deles está diminuindo a propagação da Covid-19 e, se esse trabalho for interrompido, nenhuma outra organização poderá substituí-los”, tuitou Gates.

Além disso, o filantropo bilionário critica a posição de Trump contra o isolamento social. “É desastroso para a economia, mas quanto mais cedo você fizer isso, mais cedo poderá desfazê-lo e voltar ao normal”, defende Gates.

Os Estados Unidos são o epicentro da pandemia, tendo contabilizado mais de 680.000 casos e de 30.000 mortes, segundo o Times.

Continua após a publicidade

Fundação Bill & Melinda Gates é conhecida por investir na área de saúde. Em 2006 presenteou 16 projetos de pesquisa do mundo inteiro com 287 milhões de dólares para desenvolverem uma vacina contra a Aids. De forma semelhante, nesta nova epidemia, os Gates vão direcionar até 60 milhões de dólares para acelerar a descoberta de uma vacina contra o coronavírus.

Além disso, a instituição dos Gates destinou mais de 20 milhões de dólares para fortalecer sistemas de saúde de países pobres na África e Ásia, e outros 20 milhões para órgãos como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDCs) dos Estados Unidos.

Publicidade