Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Campanha de Le Pen recusa veículos de imprensa e sofre boicote

Cerca de 40 empresas de comunicação denunciaram as restrições impostas pela Frente Nacional

Por Gabriel Brust, de Paris Atualizado em 7 Maio 2017, 17h28 - Publicado em 7 Maio 2017, 14h46

Os principais jornais da França estarão ausentes da cobertura do discurso da candidata Marine Le Pen na noite deste domingo, após a divulgação do resultado da eleição. Libération, Le Monde e Les Inrocks, entre outros, anunciaram um boicote ao evento em solidariedade a outros veículos que tiverem o credenciamento recusado.

  • A Frente Nacional, partido de Le Pen, não autorizou a cobertura de mais de dez publicações, entre elas algumas de grande audiência na França como como Buzzfeed, Mediapart e Rue89.

    As relações entre a Frente Nacional e a imprensa estão tensas desde o primeiro turno, quando diversos veículos foram impedidos de cobrir o discurso de Le Pen na sequência da divulgação dos resultados, entre eles um jornalista da revista Marianne, co-autor de um livro investigativo sobre a vida de Le Pen.

  • Entre os dois turnos, um grupo de cerca de 40 empresas de comunicação assinou uma petição de protesto contra a decisão da Frente Nacional de escolher os veículos autorizados a cobrir o evento, denunciando um “entrave à liberdade de imprensa”.

    A Bloomberg também descredenciou a jornalista que cobriria o discurso de Marine Le Pen, em solidariedade aos outro veículos, conforme anunciado via Twitter:

    O diretor de redação do Le Monde, Luc Bronner, divulgou uma nota no final da tarde de hoje anunciando a decisão do jornal: “O Le Monde condena vivamente esta atitude que impede de assegurar a cobertura correta de um momento democrática importante e demonstra uma concepção degradada da liberdade de imprensa. Em solidariedade aos veículos excluídos da cobertura, decidimos não estar presente na noite eleitoral da Frente Nacional.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade