Clique e assine com 88% de desconto

Cameron sai, mas deixa o gato oficial para Theresa May

Um porta-voz do governo britânico confirmou que o gato Larry, "felino oficial" de Downing Street, vai permancer na residência com a troca de líderes

Por Da Redação - 12 jul 2016, 12h02

Mudanças irão ocorrer na residência oficial do premiê britânico, no número 10 da Rua Downing, em Londres, na próxima quarta-feira. Quando David Cameron entregar a chave de casa para a sua sucessora, Theresa May, porém, um funcionário já tem lugar garantido na nova equipe: o gato Larry.

O “felino oficial” foi trazido em 2011 do centro de resgate de animais Battersea Cats and Dogs Home, em Londres, para viver com o líder britânico. Apesar de ser frequentemente visto descansando nos degraus da casa, Larry não recebe moradia de graça, pois tem um trabalho a cumprir. Ele é incumbido de caçar os ratos que aparecerem na residência.

“Ele é um servidor público e não pertence à família Cameron, por isso, vai ficar”, afirmou um porta-voz do governo britânico nesta quarta-feira. O gato foi chamado para função quando um rato foi visto na frente da casa do primeiro-ministro, durante uma transmissão de TV, há cinco anos. Com uma reputação de “forte senso predatório” no abrigo em que vivia, ele foi considerado adequado para o posto.

Leia também:

Publicidade

Com microfone ligado, Cameron sai cantarolando após anunciar renúncia

Amelia, a gata marinheira que viaja pelo mundo com sua dona

Morre último cão da equipe de resgate do 11 de setembro

Larry foi o primeiro felino a assumir a função desde Humphrey, adotado em 1989, durante o mandato de Margaret Thatcher e aposentado em 1997. Na ocasião da sua chegada, Cameron disse que estava “encantado em recebê-lo” e que ele seria “uma grande aquisição para o time de Downing”. Com a saída antecipada do premiê, o gato precisará se adaptar rapidamente às novas companhias.

Publicidade

(Da redação)

Publicidade