Clique e assine a partir de 9,90/mês

Calma e muita sorte: como um garoto de 7 anos sobreviveu sozinho em floresta no Japão

Os pais de Yamato Tanooka o abandonaram na mata, como punição por mau comportamento, e ele ficou desaparecido por seis dias

Por Da Redação - 3 jun 2016, 13h07

Não teve choro nem drama. Yamato Tanooka, garoto de 7 anos que enfrentou seis dias de solidão em uma floresta no Japão após ser abandonado pelos pais, estava calmo quando foi encontrado pela equipe de resgate.

“Você é Yamato?”, perguntou o soldado. “Sim, sou eu”, respondeu o menino, em sua primeira interação com um ser humano após ser obrigado a sair do carro da família, no último sábado, como punição por jogar pedras em carros e pessoas durante um passeio.

Yamato tinha apenas alguns arranhões nos braços e pernas, obtidos ao longo das horas de caminhada pelos cerca de 5 quilômetros percorridos pela criança na floresta fechada até chegar a uma isolada instalação militar japonesa. No local, ele encontrou cabanas e, dentro delas, colchonetes, segundo o jornal The Guardian.

Leia mais:

Garoto abandonado pelos pais na floresta é encontrado vivo

Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança desaparece

O menino passou seis dias e noites sem comida – ele bebeu água de uma torneira do lado de fora da cabana -, mas contou com muita sorte para sair vivo e quase ileso da aventura. A primeira foi não ter deparado com nenhum dos muitos ursos selvagens que habitam a floresta de Hokkaido, ilha mais ao norte do Japão. A segunda foi chegar às cabanas e ter a chance de se proteger da chuva e do frio, que chegou a 7 graus. A terceira dose de sorte pode ter salvado sua vida: quando a instalação militar não está sendo usada, as cabanas deveriam ficar trancadas, mas alguém esqueceu uma delas aberta.

Quando o soldado abriu a porta da cabana, encontrou Yamato enrolado em um colchonete. Ele vestia calça de moletom, camiseta e tênis. Ele contou que, à noite, usava um dos colchonetes como cobertor.

Continua após a publicidade

Arrependimento – Mais tarde, quando o menino recebia tratamento para a desidratação no hospital, o pai de Yamato falou com a imprensa. “A primeira coisa que eu fiz foi pedir desculpas a ele pelo terrível sofrimento que o fiz passar”, contou Takayuki Tanooka, com lágrimas nos olhos. “Ele balançou a cabeça e disse ‘OK’, como se entendesse”.

Leia também:

“Acidentes acontecem”, diz mãe de criança que caiu em jaula de gorila

Após um ano com o bebê errado, família recupera filho trocado na maternidade em El Salvador

Tanooka reconheceu que passou dos limites abandonando o filho na floresta – o pai dirigiu por 500 metros e voltou para buscar a criança, mas não conseguiu encontrar Yamato.

“Ele cresceu em uma família amorosa, mas (…) nosso comportamento como pais era excessivo e estou extremamente arrependido disso. Acreditava que o que eu estava fazendo era para seu próprio bem, mas, sim, agora percebo que fui longe demais”, disse Tanooka.

A polícia informou que os pais podem ser processados por negligência, reportou a rede BBC.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade