Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Califórnia aprova medidas para reforçar controle de armas

O Estado encaminhará ao governador um pacote sem precedentes de leis que inclui proibição de vendas de armas automáticas e outras restrições

O Estado da Califórnia, nos Estados Unidos, aprovou nesta quinta-feira um pacote sem precedentes que reforça o controle de armas de fogo na região. O projeto com doze medidas passou com maioria na Legislatura da Califórnia, órgão majoritariamente democrata composto pela Assembleia e pelo Senado regional. As novas restrições, que foram encaminhadas ao governador da Califórnia, Jerry Brown, para aprovação, estabelecem que só seja possível comprar uma arma por mês, de qualquer tipo, e proíbem as armas longas com “carregador automático”, mecanismo que permite recarregar a munição de maneira muito mais rápida. Esse foi o tipo armamento usado por Omar Mateen no massacre na boate gay Pulse, em Orlando, no qual 49 pessoas morreram no dia 12 de junho.

Outras disposições da nova lei da Califórnia afetam às “armas indetectáveis”, os prazos e exigências para informar sobre roubo ou extravio de armas e a regulação de munição e carregadores de grande capacidade. Através de um comunicado, o senador democrata Kevin de León, atualmente presidente do Senado estadual, destacou que a Califórnia é “uma luz de esperança para o resto da nação”. “Vamos enviar ao governador o mais forte e mais completo conjunto de medidas de prevenção da violência com armas em uma geração. Quando for promulgada, definitivamente salvará vidas”, declarou o senador.

Leia também:

Havaí se torna 1º estado americano a incluir portadores de arma em banco de dados do FBI

Democratas dos EUA encerram protesto na Câmara por controle de armas

Obama diz que senadores “fracassaram com o povo” ao rejeitar controle de armas

O presidente da Assembleia da Califórnia, Anthony Rendon, afirmou que os representantes eliminaram as ferramentas favoritas dos assassinos em massa com a aprovação. “Estabelecemos limites razoáveis sobre a venda de armas e munição e fortalecemos leis para mantê-kas fora das mãos dos indivíduos que não deveriam tê-las. Cada isenção eliminada tira mais um dedo do gatilho”, disse Rendon.

Especial – O mapa da violência armada nos EUA

Os esforços dos democratas para reforçar a legislação sobre as armas foram intensificados após o ataque de Orlando. Na semana passada, um grupo de legisladores protestou na Câmara dos Representantes federal para criticar a falta de compromisso dos republicanos com relação ao controle das armas de fogo. Na Califórnia, a proposta de uma reforma já havia tomado força depois do ataque terrorista ocorrido na cidade de San Bernardino, no qual catorze pessoas morreram em dezembro do ano passado.

(Com agência EFE)