Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caçadora americana posta fotos com animais mortos e desperta revolta nas redes sociais

Sabrina Corgatelli e seu namorado, Aaron Neilson, viajaram a África do Sul para caçar animais selvagens

Uma caçadora americana despertou revolta nas redes sociais após postar fotos ao lado de animais que ela matou na África – nas imagens, ela aparece ao lado de uma girafa, um javali, um cudo e uma impala (duas espécies do grupo dos antílopes). Em sua página no Facebook, Sabrina Corgatelli fez contagem regressiva em sua página para a “viagem da sua vida” a uma área de conservação privada próxima ao Parque Nacional Kruger, na África do Sul, onde realizou suas caçadas.

No dia 25 de julho, logo após a história da morte do leão Cecil ser revelada, Sabrina começou a postar fotos de seus “troféus”. Na primeira imagem, ela exibia orgulhosa o cadáver de um cudo, uma espécie de antílope africano com chifres em espiral. “Ontem, dia 1, foi um dia incrível!!! Peguei o meu lindo, lindo cudo!!!! Era meu primeiro desejo da lista e eu o peguei no primeiro dia!!! Adorando estar aqui!!!!”, dizia a legenda.

Leia também:

Jericho, da coalizão do leão Cecil, está vivo e rugindo

Zimbábue pede extradição do dentista americano que matou leão Cecil

Mais tarde, ainda no mesmo dia, a caçadora compartilhou diversas imagens em que aparece ao lado de uma girafa morta, que se referiu como “uma incrível girafa velha”. Na postagem, a mulher expressa mais uma vez sua felicidade pela conquista: “Minha emoção após pegá-la foi um sentimento que eu nunca vou esquecer!!!”. Outras fotos de um javali e de uma impala que caçou também estão em sua página nas redes sociais.

Sabrina Corgatelli, que usa maquiagem pesada, roupas justas e grandes brincos de argola, é contadora de uma universidade e também administra uma loja de roupas. Antes de viajar, a mulher da cidade americana de Boise, estado de Idaho, postou uma montagem em sua página com a frase: “Para todos os inimigos. Fiquem atentos, vocês terão muito mais para se irritar”.

O namorado de Sabrina, Aaron Neilson, também aparece em suas fotos, ao lado do corpo de um crocodilo. Em sua própria página do Facebook, além de defender a ação de Walter Palmer, dentista acusado de ter matado o leão Cecil, Neilson admitiu ter matado dois leões nas últimas semanas na África do Sul e outro muito parecido com o símbolo do Zimbábue, no mesmo lugar onde ele foi morto. As postagens do casal provocaram uma tempestade de indignação por parte dos amantes de animais. Milhares de pessoas mandaram mensagens no perfil de Sabrina, chamando-a de “demente”, “sem coração” e “definição de nojenta”.

Leia também:

Acusados de ajudar americano a matar o leão Cecil são liberados sob fiança

Justiça do Zimbábue ouve acusados de ajudar na morte do leão Cecil

Como resposta às críticas, Aaron condenou os internautas que tem atacado ele, sua namorada e Palmer, dizendo que são “ignorantes, mal informados, equivocados, ateus, hipócritas de mente pequena”. “EU SOU CAÇADOR! Para isso eu não tenho desculpas, não peço perdão, eu não me rendo a ninguém, e não me escondo disso!”, escreveu

Um porta-voz da empresa de caça Old Days da África do Sul, confirmou que recebeu Sabrina e seu namorado para uma viagem de duas semanas no país, mas se negou a comentar mais sobre o assunto. Na África do Sul, existem centenas de fazendas e propriedades privadas dedicadas ao negócio da caça. Na maioria delas, os animais não são selvagens, ou seja, foram criados em cativeiro com a finalidade de serem caçados quando adultos. Em média, um ‘pacote” com todos os animais que Sabrina caçou custa 5.400 dólares (18.500 reais) e uma girafa sozinha pode custar até 2.600 dólares (9.000 reais). Além da África do Sul, a caça é permitida em pelo menos mais dez países africanos, desde que o animal não esteja numa área de proteção ambiental.

(Da redação)