Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Buscas são retomadas após demolição de restos de prédio em Miami

Poucas horas após a demolição da área restante as equipes de resgate já voltaram a procurar pelos 121 desaparecidos

Por Da Redação 5 jul 2021, 11h10

A procura pelos desaparecidos nos escombros de um prédio que desabou em Miami foram retomadas na manhã desta segunda-feira, 5, após a demolição dos restos da construção. O processo teve de ser antecipado devido à probabilidade da chegada da tempestade tropical Elsa, que se aproxima do estado da Flórida.

Por motivos ainda não determinados, a ala nordeste do edifício Champlain Towers, inaugurada em 1981 e com um total de 136 apartamentos, desabou em poucos segundos na madrugada do dia 24, quando seus moradores dormiam. Os apartamentos disponíveis no prédio são considerados de alto padrão, tem vista para o mar e podem custar até 700.000 dólares (cerca de 3,5 milhões de reais).

Assim que a permissão foi concedida, as equipes de resgate retomaram as buscas em partes da garagem subterrânea, área na qual é esperado que seja possível enxergar com mais clareza os possíveis espaços vazios embaixo dos escombros. Desde a queda, ninguém ainda foi resgatado com vida e 121 pessoas continuam desaparecidas. 

Segundo a prefeita do condado de Miami-Dade, Daniella Levine Cava, a demolição ocorreu exatamente como o planejado.

“Era uma imagem perfeita. Exatamente como nós esperávamos”, disse. 

Alguns moradores chegaram a pedir às autoridades para retornar aos apartamentos uma última vez para recuperar alguns pertences, porém o pedido foi negado. Muitos moradores também perguntaram sobre os animais de estimação deixados para trás, embora as equipes não tenham encontrado nenhum sinal de vida após varreduras que contaram com a ajuda de drones.  

Continua após a publicidade

Levine Cava afirmou que as autoridades responsáveis estão auxiliando e explicando suas decisões aos sobreviventes desde o início do processo.

“Entendemos que as famílias estão se dando conta de que o tempo está passando e as chances estão diminuindo cada vez mais. Eles estão conosco e sabem todos os passos que estamos tomando”, disse em entrevista à NBC. A prefeita disse ainda que as equipes estão fazendo o possível para recuperar o máximo de itens pessoas possíveis que foram deixados para trás durante o desabamento.  

Os planos de demolição do restante do prédio precisaram ser adiantados devido à aproximação da tempestade tropical Elsa, que pode trazer ventos fortes e condições climáticas desfavoráveis para as buscas. Com a proximidade, o presidente Joe Biden declarou estado de emergência na Flórida, o que torna possível a ajuda federal.  

Apesar das últimas previsões apontarem um deslocamento da tempestade para o oeste, o que pouparia principalmente o sul do estado, meteorologistas locais ainda esperam ventos de aproximadamente 64km/h na região. 

A decisão de demolir os restos do edifício ocorreu após preocupações de um novo risco de queda, algo que coloca em risco as equipes de resgate e limitam as buscas na área. O método utilizado foi o chamado “derrubada energética”, que utiliza pequenos dispositivos de demolição e depende da força da gravidade, com o objetivo de conter o desabamento no menor entorno possível.  

Construído em 1981, o Champlain Towers é composto de dois prédios gêmeos. Uma inspeção em 2018 constatou desgastes na estrutura da face sul, especialmente no concreto sob a piscina e no acesso à entrada do condomínio, em decorrência de drenagem deficiente.

Em março passado, Jean Wodnicki, presidente da associação de condôminos, alertou em carta sobre a “piora significativa” dos danos, que eram visíveis nos pilares da garagem e tendiam a “se multiplicar”. A carta orçava a reforma necessária em 20 milhões de dólares e previa seu início em alguns meses.

Continua após a publicidade
Publicidade