Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Britânico desaparecido em Israel pode ter ‘síndrome de Jerusalém’

Condição psiquiátrica faz a pessoa acreditar que é um profeta ou uma figura bíblica; turista sumiu em novembro no deserto israelense

Por Da redação Atualizado em 17 jan 2018, 11h33 - Publicado em 16 jan 2018, 19h05

Um turista britânico que desapareceu no deserto de Neguev, em Israel, em novembro do ano passado pode estar sofrendo da “síndrome de Jerusalém”, uma condição psiquiátrica que faz a pessoa acreditar que é um profeta ou uma figura bíblica.

Oliver McAfee, um cristão devoto de 29 anos, mora em Essex no Reino Unido e estava em Israel como turista. Foi visto pela última vez no dia 21 de novembro, andando de bicicleta nos arreadores da cidade de Mitzpe Ramon. Alguns dos seus objetos pessoais foram encontrados neste mês no deserto israelense, como carteira, chaves e um tablete.

Segundo o jornal britânico Daily Telegraph, enquanto procurava pelo turista com auxílio de drones e cães, a polícia encontrou páginas da bíblia e manuscritos com citações do livro sagrado cristão. Os policiais também relataram ter encontrado o que eles chamaram de “altar”, uma parte achatada de areia rodeada por um círculo de pedras.

Um psiquiatra consultado pelo jornal britânico afirmou que McAfee aparentava estar envolvido em experiências religiosas no deserto que poderiam ser enquadradas na Síndrome de Jerusalém.

A síndrome, de acordo com o British Journal of Psychiatry, se caracteriza pela excitação religiosa causada pela proximidade com lugares sagrados. Os casos são raros, mas o suficiente para um hospital em Jerusalém designar um centro de tratamento para turistas, em sua maioria cristãos.

“A síndrome de Jerusalém não é uma doença mental por si só, mas geralmente é sobreposta por sofrimento mental ou doença que o paciente tem”, explicou o psiquiatra Moshe Kalian ao Telegraph.

Continua após a publicidade

Publicidade