Clique e assine a partir de 9,90/mês

Briga por causa de macaco deixa 20 mortos na Líbia

Conflito de quatro dias deixou ainda 50 feridos, entre eles mulheres e crianças

Por Da redação - Atualizado em 21 Nov 2016, 15h53 - Publicado em 21 Nov 2016, 15h50

Uma briga entre duas tribos rivais motivada pelo ataque de um macaco de estimação a uma menina deixou ao menos 20 mortos no sul da Líbia. Os confrontos ocorreram em Sabha, cidade que fica a 660 quilômetros da capital Trípoli.

De acordo com testemunhas, o surto de violência foi desencadeado por um incidente inusitado: o macaco pertencente a um comerciante do clã Gaddadfa mordeu e tirou o véu islâmico de uma garota da tribo Awlad Suleiman que passava pelo local – Gaddadfa e Awlad Suleiman representam as maiores e mais poderosas facções armadas na região.

Segundo a rede britânica BBC, em retaliação ao ataque do primata, membros da tribo Gaddadfa mataram três homens do clã rival e o animal.

Após quatro dias de confrontos, estima-se que 20 pessoas tenham sido mortas e 50 ficaram feridas, inclusive mulheres e crianças, em combates que incluem tanques, foguetes e outros armamentos pesados.

Continua após a publicidade

Desde o levante que derrubou o ditador Muamar Kadafi, há cinco anos, a Líbia sofre com conflitos internos. A região de Sabha, centro de tráfico de imigrantes e armas no país, tem sido negligenciada pelo governo central, o que favorece o aumento da violência entre as tribos.

Publicidade