Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Brasileiro morto na Austrália não roubou biscoitos, diz rádio

Funcionário da loja de conveniência disse ser um caso de identidade errada

Por Da Redação 22 mar 2012, 11h43

O brasileiro de 21 anos morto pela polícia de Sydney no domingo não roubou pacote de biscoitos de uma loja de conveniência, disse nesta quinta-feira um funcionário do local que pediu para não ser identificado. Testemunhas haviam acusado Roberto Laudisio do furto e esse era um dos motivos apontados pelos policiais para justificar a perseguição ao jovem, que morreu ao receber descargas elétricas de armas de choque (chamadas Taser).

Segundo a rádio australiana SBS, o empregado da loja disse que o incidente foi um caso de identidade errada. “O funcionário da loja disse que a pessoa que morreu não é a mesma que roubou os biscoitos”, enfatizou o correspondente português da rádio, Marcos Moreira. “Ele confirmou que todos na loja estavam mantendo o anonimato do funcionário que estava trabalhando no domingo por razões de segurança, caso o homem que roubou os biscoitos volte à loja”, acrescentou.

A causa e as circuntâncias da morte de Curti estão sendo investigadas pela polícia local. Paralelamente, a família do rapaz já manifestou o desejo de abrir mão da ajuda do consulado para encaminhar uma ação independente.

O caso – O brasileiro Roberto Laudísio Curti, de 21 anos, era de São Paulo. Ele havia trancado a matrícula no curso de administração na PUC para estudar inglês em Sydney, na Austrália, onde foi morar com a irmã mais velha e seu marido australiano em junho do ano passado. Na madrugada do último domingo, ele foi perseguido por seis policiais que o paralisaram com Taser, armas de choque, e morreu depois de uma série de impactos.

O motivo da perseguição ainda não foi esclarecido. Segundo as primeiras informações, os policiais teriam desconfiado de alguma atitude do rapaz, que indicaria que ele estava sob o efeito de drogas – e tentaram abordá-lo. A polícia diz ainda suspeitar que o brasileiro esteja envolvido em um “episódio” ocorrido em uma loja de conveniências pouco antes da perseguição. A autópsia no corpo de Curti foi concluída na segunda-feira, e o resultado deve revelar a causa da morte e se o brasileiro havia consumido alguma substância que possa ter contribuído para a fatalidade.

Continua após a publicidade

Publicidade