Clique e assine a partir de 9,90/mês

Brasil soma mais de 1 milhão de homicídios desde 1980

Por Da Redação - 14 Dec 2011, 12h47

São Paulo, 14 dez (EFE).- O Brasil mantém taxas altas de assassinatos, superiores a 25 mortes em 100 mil habitantes, há 15 anos e o número acumulado desde 1980 soma 1.091.125 homicídios, apontou relatório divulgado nesta quarta-feira.

A quantidade de homicídios pulou de 11,7 em cada 100 mil habitantes em 1980 para 28,9 em 2003, ano em que registrou o recorde de violência, detalhou estudo com base em dados oficiais elaborado pelo Instituto Sangari, uma instituição privada.

Desde então ocorreu um leve descenso dos homicídios, para a taxa de 26,2 mortes em cada 100 mil habitantes registrada em 2010. A queda é atribuída à política do desarmamento adotada pelo Governo e planos regionais que tiveram êxito na redução da violência.

O documento revela que a partir de 2004 foi sentida uma mudança no padrão dos homicídios, queda dos assassinatos nas capitais e grandes conglomerados urbanos e aumento nas zonas rurais e em estados que antes eram pacíficos.

Continua após a publicidade

Em 2010, as maiores taxas de homicídios foram registradas nos estados de Alagoas (nordeste), com 66,8 mortes para cada 100 mil habitantes, Espírito Santo (sudeste), com 50,1 homicídios, e Pará (norte), com taxa de 45,9. Enquanto isso, em São Paulo, a região mais populosa e rica do país, o indicador foi de 13,9 para cada 100 mil habitantes.

De 2004 a 2007 foram contabilizados no Brasil 193.804 homicídios, número próximo aos 208.349 óbitos acumulados em 62 guerras e conflitos armados, incluindo os do Iraque, Sudão, Afeganistão, Israel e dos territórios palestinos e a Colômbia, detalhou o relatório.

Todas as regiões brasileiras mantêm taxas de homicídios que superam as 10 mortes para cada 100 mil habitantes, nível equiparado à mortandade de uma epidemia segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). EFE

Publicidade