Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Brasil: cacique Raoni alerta para ameaça de pistoleiros contra seu povo

O cacique Raoni, conhecido mundialmente por sua luta na defesa da selva amazônica, alertou neste domingo para a situação no território onde fica sua reserva indígena onde, afirmou, existe uma ameaça séria que pode terminar em banho de sangue.

O apelo foi divulgado em um comunicado da associação Planeta Amazônia, dedicada à defesa do meio ambiente e das populações indígenas.

Segundo a ONG, estão acontecendo “incidentes graves nos territórios ancestrais de kauapo (no estado amazônico de Mato Grosso), que segundo denunciou o chefe Raoni são ocupados ilegalmente por colonos armados apoiados por policiais corruptos”.

Um indígena foi agredido nestes dias pelos colonos, que ainda incendiaram a caminhonete da vítima e, segundo o texto, “os guerreiros de Raoni estão se reagrupando às centenas para perseguir os invasores”.

“Esta batalha pode ser sangrenta e ninguém faz nada. Tememos pela vida de Raoni e de sua família”, destacou o Planeta Amazônia, que fez “um apelo ao governo brasileiro para tomar medidas” e fazer uma demarcação efetiva da reserva indígena de 180.000 km2 no rio Xingu.

O cacique octogenário é um feroz opositor à construção da hidroelétrica de Belo Monte, no Amazonas.

Apesar da campanha de oposição de ambientalistas e grups indígenas, na qual participaram o diretor do filme ‘Avatar’, o canadense James Cameron, o Brasil autorizou em 1º de junho a construção da gigantesca represa, destinada a ser a terceira maior do mundo, com 11.200 MW de potência (cerca de 11% da capacidade instalada do país).

Para a construção de Belo Monte, avaliada em 11 bilhões de dólares e com entrega prevista para 2019, serão inundados 500 km2 de área, junto ao Xingu, e deslocará 16.000 pessoas, que serão reassentadas, segundo as autoridades.