Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Governo britânico pede desculpas à rainha por festas durante lockdown

Duas dessas reuniões aconteceram na véspera do funeral do príncipe Philip e duraram até a madrugada

Por Matheus Deccache Atualizado em 14 jan 2022, 11h34 - Publicado em 14 jan 2022, 11h01

O governo do Reino Unido pediu desculpas à Família Real pela realização de duas festas para funcionários realizadas na noite anterior ao funeral do príncipe Philip. As reuniões ocorreram em 16 de abril de 2021 e seguiram até a madrugada.

O porta-voz do premiê, Boris Johnson, disse ser “profundamente lamentável que isso tenha ocorrido em um momento de luto nacional”.

Apesar de não estar presente nestas duas, Johnson enfrenta forte pressão por parte da população pelas confraternizações ocorridas em Downing Street, sede do governo, durante o período de isolamento. Ele participou de uma no dia 20 de maio de 2020 e pediu desculpas ao Parlamento na última quarta-feira (12).

A descoberta dos eventos enfureceu os partidos da oposição, que contrastaram o comportamento de funcionários do governo com fotos da rainha Elizabeth II sozinha no funeral do Duque de Edimburgo devido às restrições da Covid-19. 

Os encontros ocorreram em um momento em que socializações estavam proibidas em locais fechados e se juntam a uma lista de reuniões em prédios do governo que estão em investigação no país.

Continua após a publicidade

Após mais um pedido de desculpas, o líder trabalhista, Keir Starmer, afirmou que “a situação mostra o quanto o cargo de primeiro-ministro está degradado”.

“Os conservadores decepcionaram o Reino Unido. Um pedido de desculpas não é a única coisa que Johnson devia oferecer ao palácio. É hora de ter a decência de renunciar”, completou. 

O pedido de desculpas foi feito pelos funcionários do governo. Após questionamentos do porque o próprio premiê não fez o mesmo, seu porta-voz disse que “todos deveriam se desculpar pelos seus erros, assim como o primeiro-ministro fez nesta semana”. 

O líder democrata liberal, Ed Davey, pediu que Johnson peça perdão pessoalmente à rainha “pela ofensa causada a ela e a milhões em todo o país que choram por seus entes queridos”.

As festas em questão reuniram cerca de 30 pessoas e aconteceram em algum lugar do jardim de Downing Street, seguindo até a madrugada de 17 de abril, data do funeral do príncipe Philip. 

Na época, o Reino Unido estava sob restrição do passo dois, que proibia a socialização em ambientes fechados. As reuniões podiam acontecer apenas em lugares abertos com no máximo seis pessoas ou duas famílias. 

Continua após a publicidade

Publicidade