Bombardeio na Ucrânia mata civil e ameaça cessar-fogo

Segundo o órgão legislativo da cidade de Mariupol, uma mulher foi morta em ataque que coloca em risco o cessar-fogo anunciado na sexta-feira

Por Da Redação - 7 set 2014, 10h01

Uma mulher morreu e pelo menos quatro pessoas ficaram feridas em um bombardeio na cidade portuária ucraniana de Mariupol, na manhã deste domingo, segundo o órgão legislativo da cidade. O ataque intensifica os temores de que o cessar-fogo assinado há dois dias entre o governo ucraniano e rebeldes pró-Rússia esteja sendo desrespeitado.

Além disso, houve denúncias de explosões perto do aeroporto de Donetsk, a principal cidade controlada pelos rebeldes no leste da Ucrânia. Um porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Ucrânia, Volodymyr Polyovyi, disse, em Kiev, que os rebeldes aparentemente tentaram atacar o aeroporto, que está sob o controle das tropas do governo desde maio e tem sido alvo de separatistas pró-Rússia.

O cessar-fogo, anunciado na sexta-feira, parecia firme durante grande parte sábado, mas os bombardeios começaram no período da noite. Em comunicado, os rebeldes disseram que as forças ucranianas violaram o cessar-fogo ao disparar contra seis locais controlados pelos combatentes pró-russos, incluindo um ponto perto do aeroporto de Donetsk. Ainda conforme o comunicado, vários rebeldes morreram.

Os confrontos entre rebeldes pró-Rússia e tropas do governo ucraniano têm devastado a economia ucraniana e deixaram pelo menos 2.600 civis mortos e centenas de milhares sem casa, segundo estimativas da Organização das Nações Unidas.

Publicidade

Leia mais:

Governo e rebeldes trocam acusações de violar cessar-fogo na Ucrânia

Ucrânia e rebeldes pró-Rússia anunciam cessar-fogo

Obama está cético quanto ao cessar-fogo na Ucrânia

Publicidade

Otan terá presença militar contínua no leste europeu

Sanções à Rússia – Estados Unidos e União Europeia (UE) prepararam sanções ainda mais duras contra Moscou. Obama afirmou que o meio mais eficiente de garantir o cessar-fogo é seguir adiante com essas medidas e manter a pressão sobre a Rússia. As novas sanções receberam aprovação na noite de sexta-feira e podem ser implementadas já na próxima terça-feira.

Em declaração publicada online neste sábado, o Ministério de Relações Exteriores da Rússia condenou a intensificação nas sanções pela UE e prometeu que haverá reação a qualquer nova medida. Em agosto, a Rússia aprovou a proibição de importação de carne, frutas, vegetais e derivados de leite da UE, dos Estados Unidos e de uma série de países que impuseram sanções a Moscou.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Publicidade