Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bombardeio mata chefe da Frente Nusra na Síria

Facção ligada à Al Qaeda confirmou a morte de Abu Humam al-Shami

A Frente Nusra, facção jihadista ligada à Al Qaeda na Síria, anunciou nesta quinta-feira a morte do seu principal chefe militar, atingido por uma explosão que tinha como alvo uma reunião de comandantes do grupo. Outros três integrantes da facção foram mortos junto com Abu Humam al-Shami, que, além da Síria, também aterrorizou o Afeganistão e o Iraque.

Não está claro se o bombardeio em Salqin, na província de Idlib, noroeste do país, foi realizado pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos ou pelo Exército da Síria.

Leia também:

Ataque aéreo de coalizão atinge filiada à Al Qaeda na Síria

Coalizão internacional bombardeia posições do EI no norte da Síria

Principal grupo armado de oposição perde membros para organização terrorista

O ataque ocorre no momento em que o enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, planeja negociar com a facção para permitir a chegada de ajuda humanitária a Aleppo, segunda maior cidade da Síria e um dos locais onde a Nusra mais mostra força. Nesta quarta, a Nusra realizou um ataque contra o quartel general da Força Aérea, detonando explosivos em um túnel sob a construção e, em seguida, lançando uma ofensiva terrestre que foi repelida pelas forças do governo. Vinte soldados e catorze terroristas foram mortos.

A Nusra estaria considerando afastar-se da Al Qaeda para pleitear armas e ajuda financeira de países do Golfo, informou a rede britânica BBC. Esses países estão em busca de aliados para o combate contra o Estado Islâmico e também contra o regime de Bashar Assad na Síria. A facção é considerada grupo terrorista pelos Estados Unidos, e foi alvo de sanções da ONU.

(Da redação)