Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Bolsonaro afirma que transferirá embaixada para Jerusalém até 2021

Presidente diz ter tratado do tema com lideranças de países árabes: 'Não é para afrontá-los, é uma questão de entendimento nosso'

Por Da Redação Atualizado em 4 fev 2020, 13h15 - Publicado em 4 fev 2020, 12h51

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vai transferir a embaixada do Brasil em Israel para Jerusalém até o final de 2021, em uma entrevista para o canal no YouTube do pastor Silas Malafaia. A declaração foi dada em dezembro do ano passado, mas a entrevista só foi publicada nesta segunda-feira 3.

“Não vou dizer 20[20], mas no máximo 20[21]. E vai nascer sem atritos”, disse Bolsonaro. O presidente revelou que, nas viagens que tem feito pelo mundo, tem conversado com líderes de países vizinhos de Israel sobre a questão.

“Nós temos conversado com lideranças de países vizinhos, falando que é uma questão interna nossa”, disse. “Não é para afrontá-los, é uma questão de entendimento nosso”.

Bolsonaro afirmou ter tratado do tema com lideranças da Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes, entre outros. “Só teve uma que ficou meio assim, mas deu sinal verde”, disse. “Os outros chefes de Estado falaram que é uma questão interna do Brasil”.

“O comércio hoje em dia não tem ideologia”, afirmou ainda. “Você vai deixar de comprar do Brasil por uma questão dessa e vai comprar de outro país? Vai aumentar o preço para o lado de lá. E nós não estamos afrontando, estamos conversando. É um convencimento”, completou.

Continua após a publicidade

A entrevista foi gravada no último dia 20 de dezembro, mas demorou mais de um mês para ser divulgada por Malafaia, que é presidente do Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil.

Jair Bolsonaro provocou grande desconforto diplomático com os países árabes logo nos primeiros dias de seu governo, quando declarou sua intenção de transferir a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém, em um gesto de reconhecimento da cidade como capital do Estado judeu. Com exceção dos Estados Unidos, a comunidade internacional mantém suas representações diplomáticas em Tel Aviv para manter a neutralidade no conflito com a Palestina.

A embaixada brasileira só não foi transferida para Jerusalém devido à pressão feita por setores do agronegócio que, temendo represálias dos países árabes, conseguiram adiar a decisão do presidente. Porém, em dezembro de 2019, o Brasil inaugurou um escritório comercial na Cidade Santa.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)