Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bolivia: protestos contra o custo de vida e o desabastecimento

Numa delas, em Oruro, o presidente Evo Morales foi obrigado a cancelar um ato cívico e retornar a La Paz, para evitar incidentes

Por Da Redação 10 fev 2011, 20h45

Uma série de protestos contra a falta de açúcar e o aumento dos preços dos demais alimentos foram realizadas nesta quinta-feira em várias cidades da Bolívia. Numa delas, em Oruro, o presidente Evo Morales foi obrigado a cancelar um ato cívico e retornar a La Paz, para evitar incidentes.

Morales assistiria a um desfile cívico-militar no local (a 240 km ao sul de La Paz) mas seu corpo de segurança o advertiu para desistir, tendo em vista uma passeata de manifestantes.

Centenas de pessoas, tendo à frente representantes de mineiros, industriais e dirigentes da Central Operária Regional, decidiram na véspera aproveitar a presença do presidente para protestar contra os preços de produtos básicos.

Os manifestantes fizeram explodir petardos nas ruas próximas à Praça de Armas de Oruro, obrigando Morales e o vice-presidente, Alvaro García, a regressarem à sede do Governo.

Outras marchas aconteceram nas cidades de Cochabamba (centro) e Santa Cruz (leste). Nesta última, os participantes cortaram a estrada entre Cochabamba e a via de acesso ao aeroporto internacional de Viru-Viru, segundo imagens do canal privado de TV PAT.

Em La Paz e El Alto os comerciantes realizaram uma paralisação parcial, sem causar maiores incidentes.

A espiral inflacionária na Bolívia e o desabastecimento começaram depois que o presidente Morales elevou, em dezembro, o preço dos combustíveis, em até 83%.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade