Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolívia evita impacto da crise com venda de gás a Brasil e Argentina

Por Aizar Raldes - 24 ago 2011, 15h08

A crise econômica nos Estados Unidos e Europa terá seus efeitos nos mercados produtores de gás e petróleo, mas, no caso boliviano, os contratos com o Brasil e a Argentina abrandam o impacto, afirmou nesta terça-feira a Câmara Boliviana de Hidrocarbonetos (CBHE).

“Os grandes mercados como Estados Unidos e Europa vão consumir menos (energia) e ao consumir menos, vão produzir menos (…), isso nos atinge a todos”, afirmou o presidente da CBHE, Carlos Dellius, durante um seminário energético em Santa Cruz (leste).

No entanto, essa crise financeira não terá efeitos sobre a atividade no setor na Bolívia por causa dos contratos de venda de gás natural ao Brasil que conclui em 2019 e à Argentina, que termina em 2027.

A Bolívia fornece ao Brasil um média de 30 milhões de metros cúbicos diários (MMCD) de gás natural e à Argentina começou a enviar de 7 a 20 MMCD.

Publicidade