Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Bo Xilai é acusado formalmente por suborno e corrupção

Protagonista do maior escândalo político recente do país asiático, ex-dirigente regional do Partido Comunista Chinês deve ser julgado em meados de agosto

O ex-dirigente comunista chinês Bo Xilai, protagonista do maior escândalo político recente do país, foi acusado formalmente por suborno, corrupção e abuso de poder nesta quinta-feira.

Considerado uma estrela em ascensão no panorama político da China, o ex-secretário do Partido na próspera metrópole de Chongqing caiu em desgraça depois que um antigo aliado delatou para a cúpula chinesa os esquemas de corrupção perpetrados por Xilai. Entre as denúncias mais graves, estava o envolvimento no assassinato de um empresário britânico – crime pelo qual a mulher do ex-dirigente já foi condenada.

Leia mais:

Dirigente chinês deposto faz greve de fome

O teatro político por trás do caso Bo Xilai

Expulso do Partido Comunista em março de 2012, época em que o escândalo estourou, o político permanece detido desde então e não é visto em público há mais de um ano.

Julgamento – A acusação formal apresentada hoje no Tribunal de Jinan, no leste da China, assinala que Xilai se aproveitou de seu alto cargo no Partido Comunista para receber “grandes quantidades de dinheiro e de propriedades”. O ex-dirigente também é acusado de mau uso do dinheiro público, “prejudicando gravemente os interesses do Estado”.

A apresentação das acusações contra Xilai abre caminho para que o julgamento do político possa ser realizado. Fontes próximas ao caso afirmaram para o jornal South China Morning Post que o julgamento deve acontecer em meados de agosto, já que, no sistema chinês, são necessários cerca de vinte dias para a preparação do processo.

Entenda o caso Bo Xilai:

(Com agência EFE)