Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Bird e OCDE divulgam mais estimativas ruins para 2009

Por Da Redação 31 mar 2009, 07h54

O Banco Mundial (Bird) prevê uma queda sem precedentes de 6,1% do volume do comércio mundial de bens e serviços em 2009, afetado sobretudo por uma contração ainda mais drástica dos intercâmbios de produtos manufaturados. Neste sentido, o presidente do Bird, o americano Robert Zoellick, pediu aos líderes do G20 que se reunirão na quinta-feira em Londres o apoio à criação de um fundo de 50 bilhões de dólares para estimular o comércio.

Em seu novo relatório Perspectivas Econômicas Mundiais, divulgado nesta terça-feira, a instituição prevê que a economia mundial entrará pela primeira vez em recessão desde a II Guerra, com contração média de 1,7% em 2009. Nos países em desenvolvimento, o crescimento deve registrar uma forte desaceleração, mas seguirá positivo, a 2,1% contra 5,8% em 2008, anunciou o Bird, que se declarou muito inquieto com as consequências sociais e humanas da crises nestes países.

Outra previsão negativa partiu da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que reduziu sua previsão para a economia mundial nesta terça-feira, prevendo agora uma contração de 4,3% em 2009, ante estimativa anterior de queda de 0,4%. “A economia mundial está no meio de sua mais forte e mais sincronizada recessão da história, causada pela crise financeira global e aprofundada pelo colapso do comércio mundial”, afirmou a organização.

“Acreditamos que a atual contração da atividade econômica vai piorar neste ano, antes da recuperação induzida por políticas gradualmente tome forma ao longo de 2010”, afirma documento da OCDE. O economista-chefe da OCDE, Klaus Schmidt-Hebbel, disse que o desemprego nos países do G7 deve praticamente dobrar, para 36 milhões de pessoas, enquanto na região da OCDE deve aumentar em 25 milhões até o fim de 2010.

(Com agências France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)