Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Biden vence na Geórgia e no Arizona e iguala números de Trump em 2016

Resultado final das urnas é 306 delegados para o democrata contra 232 para o republicano, segundo projeções da imprensa americana

Por Da Redação Atualizado em 13 nov 2020, 19h25 - Publicado em 13 nov 2020, 19h23

O presidente-eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, estendeu nesta sexta-feira, 13, sua vitória nas eleições presidenciais americanas, ao totalizar 306 votos no Colégio Eleitoral, contra 232 para Donald Trump, segundo as projeções divulgadas pela imprensa americana que, na ausência de uma comissão eleitoral federal, serve como primeiro indicador, e extraoficial, dos resultados eleitorais em solo americano.

Entre quinta-feira 12 e esta sexta, ou seja, cerca de dez dias depois das eleições, os principais veículos da imprensa americana, entre eles as emissoras NBC News e CNN, ainda não haviam declarado o vencedor em três estados: Arizona (11 delegados), Geórgia (16) e Carolina do Norte (15).

A vitória de Biden por 306 delegados contra 232 é uma ironia para Trump, que havia imposto o mesmo placar sobre a ex-secretária de Estado Hillary Clinton nas eleições de 2016.

Para além das projeções da imprensa, embora não destoem dessas, os resultados oficiais das comissões eleitorais de cada estado americano deverão ser confirmados até 8 de dezembro, seis dias antes da votação no Colégio Eleitoral, em respeito à legislação federal.

Arizona

No Arizona, Biden chegou a liderar por cerca de 40.000 votos nos primeiros dias após “o dia da eleição”, 3 de novembro, mas viu essa margem encolher desde então. A projeção de quinta-feira da CNN, que declarava a vitória do democrata no estado, calculava uma vantagem de apenas 11.000 votos.

Continua após a publicidade

A vitória de Biden no Arizona, já declarada pela agência de notícias Associated Press há uma semana, é marcante pelo fato do estado ser historicamente um reduto republicano. O ex-vice-presidente se tornou o primeiro democrata a vencer no Arizona desde o ex-presidente Bill Clinton, em 1996, e o segundo desde 1948.

Geórgia

Na Geórgia, outro reduto republicano, a NBC News declarou nesta sexta “vitória aparente” de Biden por cerca de 14.000 votos. A eleição precisará passar por uma recontagem devido à pequena diferença de votos entre ambos os candidatos.

Desde 1964, o estado da Geórgia votou a favor do Partido Democrata nas eleições presidenciais apenas três vezes, a última delas a favor de Clinton, em 1992.

Carolina do Norte

Na Carolina do Norte, Trump venceu por quase 100.000 votos, mantendo o domínio republicano sobre o estado, que só votou duas vezes a favor de democratas desde o final da década de 1960.

A demora da mídia para declarar a vitória de Trump se deu pelo fato de autoridades eleitorais da Carolina do Norte aceitarem votos por correspondência que fossem recebidos até esta quinta-feira, desde que enviados até 3 de novembro.

(Com AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade