Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

‘Biden poderia ter evitado a guerra na Ucrânia, não incitado’, diz Lula

Em entrevista de capa da revista 'Time', Lula afirmou que líderes ocidentais e até o presidente ucraniano compartilham culpa pela guerra

Por Amanda Péchy Atualizado em 4 Maio 2022, 21h30 - Publicado em 4 Maio 2022, 09h18

Às vésperas da eleição, muitos acusaram Lula de estar quieto demais e fazer uma campanha demasiado discreta. No entanto, o ex-presidente está se movimentando para difundir a narrativa de que pode “salvar o Brasil” de um rol de catástrofes, que vão desde uma inflação descontrolada à ameaça à democracia do país pela extrema direita. Nesta quarta-feira, 4, “o segundo ato de Lula” virou capa da revista americana Time, que o descreve como “um cavaleiro branco cavalgando para fora do exílio”.

Na entrevista, suas visões sobre política externa o colocam contra o vento. Sobre a guerra na Ucrânia, ele afirmou que os líderes dos Estados Unidos e da União Europeia não conseguiram cumprir com seu dever por não terem “sentado à mesa” com o presidente russo, Vladimir Putin, antes do início do conflito, em 24 de fevereiro.

“Os Estados Unidos têm muita influência política. E Joe Biden poderia ter evitado (a guerra), não incitado”, disse. “Ele poderia ter participado mais. Biden poderia ter tomado um avião para Moscou para conversar com Putin. Esse é o tipo de atitude que você espera de um líder”, completou.

O ex-presidente defendeu que os Estados Unidos e a União Europeia deveriam ter assegurado a Putin que a Ucrânia não entraria na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), fazendo uma comparação com a crise dos mísseis cubanos de 1962, quando os americanos e os soviéticos concordaram em retirar os mísseis dos “quintais” um do outro.

Ele enfatizou que as sanções à Rússia impactaram injustamente a economia de outras regiões. “A guerra não é solução”, disse. “E agora vamos ter de pagar a conta por causa da guerra na Ucrânia. Argentina, Bolívia também terão de pagar. Você não está punindo só Putin. Você está punindo muitos países diferentes, você está punindo a humanidade.”

Continua após a publicidade

Para Lula, até mesmo o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky, que permaneceu no país durante toda a guerra e faz aparições inspiracionais na televisão, tem um pouco de culpa. A falta de negociações se deveria, em parte, ao desejo de Zelensky de permanecer sob os holofotes – afinal, ele é um comediante e estrela de televisão.

“Esse cara é tão responsável quanto Putin pela guerra. Porque na guerra não há apenas uma pessoa culpada”, afirmou. Ele completou que a celebração de Zelensky pelos líderes ocidentais o “encoraja, então ele pensa que é a cereja do bolo”.

“Devíamos ter uma conversa séria. O.k., você era um bom comediante. Mas não vamos fazer guerra para você aparecer na TV”, disse Lula.

+ Lula rejeita ‘já ganhou’, mas insiste no ‘já ganhei’

Sobre a possibilidade de vencer as eleições no Brasil, Lula disse que o segredo de seu sucesso está na capacidade de se relacionar com os trabalhadores brasileiros usando “o coração, e não apenas a cabeça” para governar. “Sinto orgulho de ter comprovado que um metalúrgico sem diploma universitário é mais competente para governar este país do que a elite do Brasil”, declarou.

Ele chegou a comparar-se ao jogador de futebol americano Tom Brady – casado com a modelo brasileira Gisele Bündchen – ao dizer que um novo mandato em 2023 seria ainda melhor que seus governos na década de 2000. “(Tom Brady) é o melhor jogador do mundo há muito tempo, mas em cada jogo seus fãs exigem que ele jogue melhor do que no último. Para mim, com a presidência é a mesma coisa. Só estou concorrendo porque posso fazer melhor do que antes.”

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)